Perguntas frequentes feitas ao Google

Simone Demolinari / 10/01/2019 - 07h00

O Google fez um levantamento das 100 perguntas mais pesquisadas em 2018. Os assuntos, que começam com a expressão “como ser”, referem-se à evolução pessoal e foram os campeões de busca. São eles: “Como ser feliz?”; “Como ser menos ansioso?”; “Como ser uma pessoa melhor?”; “Como ser bom marido?”... Um breve comentário sobre cada um:

– “Como ser feliz”: É difícil chegar a um acordo sobre o que é felicidade, por isso costumamos associá-la ao prazer e é um equívoco, uma vez que o prazer é efêmero. Ao contrário do que muitos pensam, a felicidade está mais próxima da calmaria do que da euforia – é um estado de plenitude e equilíbrio emocional interno onde há uma perceptível sensação de bem estar. O estudioso Mihaly Csikszentmihalyi cunhou o termo “autotélia” para denominar as pessoas classificadas como as mais felizes. Segundo ele, indivíduos autotélicos precisam de poucos bens materiais, pouco entretenimento e lazer. 

Não se seduzem pelo poder ou fama, sendo voltados mais para si e não para as recompensas externas. Isso faz com que eles sintam, em menor proporção, o que chamamos de vazio existencial, pois se preenchem de motivações internas. Daí a origem da palavra autotélica – “auto” significa “por si mesmo” e “telos” significa “fim”. Pessoas autotélicas tendem a registrar permanentemente estados emocionais positivos. 

Sentem que sua vida é mais significativa, pois, para elas, o processo é o próprio resultado. Possuem a competência de viver de maneira independente e com autonomia emocional. Estão inteiros em si, independente se os eventos externos são favoráveis ou não. Este conceito nos ajuda a entender pessoas com alto nível de felicidade mesmo sem grandes conquistas materiais e financeiras. 

No entanto, é preciso ficar atento às seduções e promessas de felicidade que são vendidas socialmente por meio de imagens e fotografias. Ser feliz é uma habilidade que pode ser desenvolvida, porém, está longe da autoafirmação e do exibicionismo. Depende de esforço cotidiano e um bom nível de autoconhecimento. Quanto mais nos conhecemos, mais competentes ficamos para gerir, com honestidade, nosso complexo mundo interior. 

– “Como ser menos ansioso”: A ansiedade está atrelada ao estilo de vida e a condicionamentos mentais. Sair desse padrão requer algumas atitudes objetivas e outras subjetivas. Um bom começo pode ser a atividade física, o exercício ajuda a queimar substâncias do estresse que o corpo produz. Alimentação saudável, pois uma mente sã funciona melhor num corpo são. Boa qualidade do sono, respeitar o limite da capacidade de trabalho, não abusar do álcool, não usar drogas, resolver os conflitos à medida que eles aparecerem e não deixar acumular problemas debaixo do tapete – a procrastinação é um poderoso combustível para ansiedade. E, por fim, deixar de ser controlador praticando o ensinamento do filósofo grego Epiteto: “só devemos nos ocupar daquilo que efetivamente está sob nosso controle”. 

– “Como ser uma pessoa melhor”: Avanços emocionais certamente nos fazem melhores. Ser mais serenos e pacientes, menos reativos e ter maior domínio sobre a própria vaidade são alguns exemplos desses avanços. 

– “Como ser bom marido”: item que merece um artigo exclusivo. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários