Seis atitudes que podem deixar a vida mais leve

Simone Demolinari / 06/12/2018 - 07h00

Algumas atitudes podem melhorar nossa qualidade de vida e bem-estar: 

1 – Livrar-se da necessidade de estar sempre certo. Há um ditado que diz: “É melhor ser feliz do que ter razão”, mas nem sempre conseguimos colocar isso em prática. Desfazemos relações, amizades e parcerias simplesmente pelo fato de o outro pensar diferente de nós. Somos intolerantes às escolhas alheias e queremos convencer as pessoas de que o nosso lado é o certo. Essa rigidez pesa as relações. 

2 – Abandonar o hábito de se comparar. A comparação é fonte geradora de sofrimento. Não existe lado bom. Se eu me comparo ao outro e me sinto inferior, há sofrimento e, por vezes, inveja. Se me sinto superior, isso reforçará em mim a vaidade e o orgulho, sentimentos opostos à felicidade. Sem contar que sempre será preciso que o outro fique pior para eu me sentir superior. Não há ganhos, só perdas. Aqueles que buscam vida leve, devem se comparar consigo mesmos e, a partir daí, avançar naquilo que desejam.

3 – Deixar de olhar para o próprio umbigo. Muitas vezes, damos importância exagerada a nós mesmos. O egocentrismo nos faz megalômanos: sentimos como se o mundo girasse ao nosso redor e acreditamos que somos mais importantes do que realmente somos. Com isso, nos ofendemos quando o outro não nos trata conforme achamos que merecemos. Uma afronta ao ego. 

4 – Motivação a partir de estímulos internos. Quando nossa motivação (motivo para ação) é interna, significa que a combustão do sentimento que nos move tem bases reais. Ao passo que, quando é externa, torna-se mais vulnerável. Exemplo: aquele que quer parar de fumar para preservar a saúde tem muito mais chances de êxito do que aquele que quer largar o cigarro para agradar o cônjuge. 

5 – Abandonar o papel de vitimismo. Não tem como deixar a vida leve sendo vitimista. Mas, é importante diferenciar: vítima é a pessoa cuja fraqueza foi explorada; vitimista é aquela que, para justificar sua infelicidade, estagna na reclamação e culpa o outro pelo seu sofrimento. Pessoas com boa autoestima, podem até ser vítimas, mas, jamais se tornam vitimistas. Viram o jogo e são mestres em “transformar o limão em limonada”. O vitimismo pode até ser vantajoso num primeiro momento, pois comove pessoas, no entanto, em termos de evolução, não contribui em nada, aliás, só piora. 

6 – Deixar de se sentir ofendido. Não se ofender é fundamental para a leveza da vida. Reza a lenda que certa vez um aprendiz se dirigiu ao Samurai e perguntou: “Mestre, como o Senhor pode suportar tanta ofensa sendo que possui uma espada e sabes que podes vencer qualquer luta?”. E o samurai respondeu: “Se alguém chega até você com um presente e você não o aceita, a quem pertence o presente?”. “A quem tentou entregá-lo”, respondeu o aprendiz. E o mestre continuou: “O mesmo vale para as ofensas e os insultos. Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carrega consigo”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários