Dividir para conquistar (e bem representar)

Tiago Mitraud / 07/08/2019 - 06h00

Mesmo com apenas oito deputados na Câmara, todos estreantes no Congresso Nacional - assim como o partido-, a bancada do Novo tem conseguido um destaque considerável por sua atuação. Nossos oito parlamentares estão nas noves primeiras colocações do “Ranking dos Políticos”, nossa bancada foi reconhecida como a mais atuante na defesa da nova Previdência e constantemente recebemos destaque relevante na mídia. Tudo isso sendo, de longe, o partido mais econômico da Câmara.

Gosto também do fato de, ao contrário do que acontece em outros partidos, sermos na maior parte das vezes referidos como “os deputados do Novo“, ao invés de sermos citados nominalmente. Isso mostra que nosso trabalho está sendo institucionalizado, diminuindo a relevância individual dos deputados, que estarão aqui por no máximo dois mandatos, devido ao partido ser contrário ao carreirismo político. Assim, é reforçada a própria instituição, uma vez que esta sim é que irá se perpetuar.

Atribuo a isso alguns fatores. O partido tem uma linha ideológica clara e seleciona candidatos alinhados a ela, fazendo com que os eleitos sejam muito alinhados entre si. Adotamos uma atuação técnica, tendo selecionado todos o assessores de nossas equipes na Câmara pelo conhecimento e capacidade de entrega. Adotamos práticas de gestão por resultados e nos organizamos devidamente para entregarmos o que precisa.

Entre as práticas adotadas, está a divisão de responsabilidades entre os deputados. Com apenas oito integrantes, não conseguimos ainda participar de todas as comissões da Câmara. Caso não nos organizássemos e permitíssemos uma sobreposição grande entre cada deputado, isso diminuiria nossa cobertura dos diferentes temas que tramitam na Casa. Portanto, nos dividimos, e cada um de nós fica responsável por alguns grandes temas, por afinidade ou necessidade de nossa representação.

Neste momento, quatro principais frentes ficaram sob minha responsabilidade: educação, gestão pública, saneamento básico e liberdade profissional. Alguns destes tópicos já foram tema de emendas e projetos de lei de minha autoria, que foram abordados em outras colunas disponíveis no site do jornal Hoje em Dia. Outros ainda estão em fase de estudos, e em breve apresentarei novidades.

Estes continuarão sendo os meus temas prioritários aqui na Câmara, mas estarei junto à bancada do NOVO em todas as grandes pautas relevantes ao país. Além de aprovarmos a Previdência no segundo turno, em breve iniciaremos discussões como a da reforma tributária, essencial ao país. Continuem acompanhando nossa atuação para tornarmos o Brasil o país livre e admirável que tanto sonhamos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários