O que podemos aprender com os 25 anos do Plano Real

Tiago Mitraud / 31/07/2019 - 06h00

Há 25 anos, o Brasil dava passos importantes na direção da estabilização econômica e na redução da pobreza. O Plano Real, implementado em 1994, foi responsável por conter a inflação que ultrapassava os três dígitos e causava o completo desespero da população brasileira, que via seu salário ser corroído pelo constante aumento dos preços dos produtos mais básicos. A história de sua implementação traz importantes lições que podem ser usadas hoje na missão de retomarmos o crescimento da economia brasileira.

Em primeiro lugar, o Plano Real era um desafio à mentalidade política da época. A hiperinflação da década de 90 não era apenas consequência de fatores externos que desvalorizaram o Cruzeiro. Era também reflexo de péssimas políticas de controle inflacionário da Ditadura Militar, o desequilíbrio dos gastos do governo e a manutenção dessa irresponsabilidade na redemocratização. 

É por isso que, além das fases mais conhecidas do Plano (o ajuste fiscal, a moeda de transição URV, a troca pelo Real), também foram necessárias medidas estruturantes para que o país pudesse manter a estabilidade da moeda. Políticas como as metas de inflação do Banco Central, a Lei de Responsabilidade Fiscal e as privatizações foram fundamentais no processo.

Em segundo lugar, o Real era um desafio de comunicação. Era necessário convencer uma população já extremamente cética, que havia visto outros sete planos fracassarem. Foi necessário um extremo esforço de diálogo da equipe técnica com o então presidente Itamar Franco, com os congressistas da época e principalmente com os brasileiros.

Apesar do atual contexto econômico muito mais favorável, sem grandes crises externas ou inflação, nós temos os nossos próprios desafios a vencer, como o gigantismo do Estado, o déficit das contas públicas, o desemprego e o baixo crescimento do PIB. Assim como a hiperinflação, nossos desafios de hoje também têm raízes nas péssimas decisões dos últimos governos. 

A boa notícia é que, assim como foi feito na implementação do Plano Real, é possível superar esses impasses. Basta que nós abandonemos o populismo e a busca por poder, recorramos às políticas públicas técnicas, sejamos responsáveis com as contas públicas e tenhamos um diálogo transparente com a população sobre a necessidade das medidas a serem tomadas. 

O Livres, movimento liberal do qual faço parte, tem realizado um importante papel de recuperação histórica do Real para a estabilização da economia brasileira. Nesta semana, lançaram um documentário que resgata os pontos mais relevantes da sua implementação. Assista um trecho em: bit.ly/TeaserReal25.

Em tempos confusos como os atuais, precisamos aprender mais com nossa própria história. Com os bons exemplos e, também, com aquilo que não queremos mais repetir. Meus parabéns ao Livres pela qualidade do trabalho desempenhado em busca deste objetivo!

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários