Bolhas Econômicas

Tiago Reis / 11/06/2019 - 06h00

 

O termo "bolhas econômicas" é relativamente comum e frequente na economia mundial. Acontece quando um produto ou ação está sendo negociado muito acima do seu valor real. Apesar de ser recorrente no cenário econômico atual, as bolhas econômicas causam receio nos investidores há séculos. Uma das referências mais clássicas e que ensina bastante é a bolha das tulipas, que ocorreu na Holanda, no século XVII.

 

Na época, as tulipas caíram no gosto dos holandeses quando, no mesmo momento, houve o surgimento de um vírus que, apesar de enfraquecer a flor, danificava seu pigmento deixando-a mais bonita, dando origem a uma variedade rara e exclusiva. Ninguém se sabe até hoje de fato a razão, mas as pessoas passaram a comprar tulipas de maneira frenética. Com o aumento na demanda, os preços subiram drasticamente.

 

Claramente, essa subida não seria infinita, pois os valores já estavam desconectados da demanda. As flores se tornaram artigos de luxo, mas não haviam tantos nobres dispostos a gastar o equivalente a uma mansão para ter uma flor. Não havia mais consumidor final, as expectativas na compra de uma tulipa eram de encontrar alguém disposto a pagar mais no futuro.

 

Assim, começou a ser realizada especulação do mesmo jeito que conhecemos hoje em dia. Várias operações de compra e venda dos títulos, com o preço subindo cada vez mais por causa da grande quantidade de especuladores em atividade. E, como era de se esperar, começou a faltar compradores.

 

Tão inesperado quanto o início desta bolha foi o seu fim. Muitas pessoas haviam vendido seus bens para investir no "negócio fácil" e acabaram ficando sem nada quando a bolha estourou, já que os contratos passaram a não valer mais nada. Isto causou enormes prejuízos, principalmente para aquelas que pagaram caro pelas suas tulipas.

 

Essa situação é familiar com as várias presenciadas recentemente. Então, é extremamente difícil identificar quando estamos dentro de uma bolha, isso é fato. Geralmente, elas são identificadas após sua ocorrência. Por isso, devem estar sempre atentos aos fatos e buscar respaldo em premissas sólidas para tentar ao máximo evitar a participação em bolhas.

 

No geral, muitas vezes, as pessoas passam a visualizar o ativo como uma boa oportunidade de investimento, mesmo que ele não seja. Assim, outros pessoas passam a comprar este ativo, fazendo com que a alta se acentue cada vez mais. Isto ocorre repetidamente até que, em determinado momento, percebem que o valor real é muito abaixo do que se está sendo negociado.

 

E, um dos motivos que causam a bolha é a falha dos envolvidos em reconhecer que cruzaram limites que não condizem com a realidade. Pois, este momento de alta abrupta no valor dos ativos, faz com que aconteça uma queda ainda mais rápida, que acaba por deixar prejuízos aos que entram na bolha especulativa.

 

Na maioria dos casos, quando uma bolha "estoura", acontece uma queda que pode ter grandes proporções.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários