Fundação Sara Albuquerque

Tio Flávio / 06/09/2019 - 06h00

A pequena e linda Sara Albuquerque realizou o tratamento da Leucemia entre 1996 e 1997, tendo seus pais e amigos ao seu lado, numa ida constante a hospitais de Belo Horizonte e São Paulo, tentando o transplante de medula e carregando muita esperança na bagagem.

Os amigos da família fizeram uma campanha para arrecadar fundos para o transplante de Sara, que conseguiu a medula, mas não resistiu até o dia da cirurgia. Como havia ainda uma “sobra” do dinheiro arrecadado, os pais, Álvaro e Marlene, resolveram usá-lo da melhor forma possível, pois experimentaram as dificuldades de passar por um tratamento fora do seu domicílio.

Foi a partir da dor e da esperança, da alegria e da luta, da persistência de Sara que seus pais instituíram em Montes Claros, no Norte de Minas, uma fundação, em 1998, que, a convite de médicos de Belo Horizonte, expandiu seu trabalho para a capital mineira, em 2010. 

A Fundação Sara tem como missão ‘’Prestar assistência social às crianças e adolescentes com câncer e ser agente de promoção de conhecimentos e de melhorias do tratamento oncológico.’’

A entidade é mantida por associados, que contribuem mensalmente, parceiros empresariais, doadores e voluntários, e todos os recursos são aplicados para dar às crianças e adolescentes, bem como aos seus familiares, o conforto de estar num local em que possam sentir como se fosse seu, já que a instituição recebe pessoas vindas de diversas cidades de Minas Gerais e, inclusive, de outros estados.

Na primeira visita que fiz à unidade de BH, já, de início, conversando com funcionários e vendo as crianças, entendi o papel da Sara entre nós. Ela veio mesmo foi para trazer-nos uma lição.

A vida dela tem feito tanto sentido na vida de muita gente, desconhecidos que batem à porta da fundação pedindo acolhimento e que recebem uma casa digna, com profissionais para acompanharem o tratamento daquelas crianças, mas que têm sua esperança fortalecida.

Sara veio mesmo para mostrar novos caminhos aos seus pais, que hoje dedicam seu tempo a esta causa. Mas, ela conseguiu mais: cada família que chega, com certeza, tem um abraço afetuoso da pequena Sara, dando forças e pedindo que tenha fé. 

Dos vários projetos desenvolvidos nas unidades, conheci trabalhos de voluntários, dedicados e presentes, como o que a Maria Clara Gonçalves desenvolve, de ouvir histórias das crianças e adaptar para um livro. A vontade deles é publicar esses livros, para que parte da arrecadação seja destinada às famílias das crianças. 

Quer conhecer e ajudar? www.fundacaosara.org.br, ( 31) 3284-7690.
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários