Acalme sua mente! Os impactos do excesso de informação

Publicado em 14/05/2022 às 06:00.

Rodrigo Felipe*

Vivemos num mundo altamente conectado. Sabemos em poucos minutos sobre algum acontecimento ocorrido em qualquer ponto do planeta, seja no nosso bairro ou num lugar bem mais distante, como o Japão, por exemplo. Por isso, estamos sujeitos a uma carga de informações bem maior do que muitas vezes conseguimos suportar.

Esse excesso de informações satura o córtex cerebral, que, dentre outras funções, é a parte do cérebro responsável por reter informações sensitivas. Em outras palavras, é o que processa tudo aquilo que captamos. Essa saturação provoca uma mente agitada e com pouco grau de tolerância, levando a um número cada vez maior de pessoas com problemas de captar e gerenciar as próprias emoções.

Considere agora que uma grande parcela da população mundial está quase que permanentemente conectada, absorvendo informações a cada segundo, sem interrupção. Ainda que as informações sejam “saudáveis” ou que sejam relevantes, o que está em jogo não é a qualidade, mas a quantidade do que processamos num curto espaço de tempo. Daí se chega às estimativas que sugerem que 80% dos brasileiros têm sintomas relacionados à síndrome do pensamento acelerado.

E são muitos os sintomas. Os principais deles são ansiedade, inquietação, alterações bruscas de humor, cansaço, sensação de tédio, dificuldade de lidar com opiniões contrárias, lapsos de memória e dificuldade de concentração. Já os impactos psicossomáticos, ou seja, que afetam também os aspectos físicos, envolvem dores de cabeça e musculares, gastrite, insônia, dentre outros.

As recomendações para diminuir os efeitos da síndrome são relacionadas a mudanças de comportamento. E a primeira delas é desligar-se mais da internet. Estabeleça horários para acessar as redes sociais e os sites de notícias, e evite conflitos com outros usuários na rede. Priorize o relaxamento do corpo e a redução do uso das telas pelo menos uma hora antes de dormir. Além disso, é importante dedicar-se a hábitos de vida mais saudáveis, como praticar atividades físicas, evitar jornadas excessivas de trabalho, priorizar momentos de lazer e outras práticas que contribuam para fugir do estresse.

O corpo pede descanso porque tem limites. A síndrome do pensamento acelerado é uma forma de dizer que seu ritmo está acima do normal. Dar uma desacelerada é um ótimo caminho para reconectar-se com aquilo que realmente é importante: sua própria saúde.

*Empresário e presidente do Grupo First, responsável pela You Saúde 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por