Correndo atrás do rabo

Leo Miranda e Marcelo Batista
Publicado em 04/08/2022 às 06:00.

As férias vieram e já foram. Não deu tempo de muita coisa. Só deu tempo de aproveitar um show do Otto, cantor pernambucano. Deu tempo também de gravar alguns vídeos, montar minha sala que terá sua estreia nesta semana e de ficar um pouco mais centrado em família. Deu tempo de escutar o Marcelinho falar “papapapapai”pela primeira vez. Deu tempo de projetar um pouco melhor o segundo semestre. Deu tempo de participar de um programa de rádio. Deu tempo de reclamar da falta de tempo no meio desse turbilhão da vida moderna.

Parece que passa tudo tão rápido dentro de mim e tudo tão devagar do lado de fora. Os anos e as férias se repetem e de certa forma vou ficando mais velho e as experiências de sala de aula um pouco mais repetitivas. Em agosto os alunos com um pouco de esperança renovada em relação à aprovação no vestibular. Os alunos da escola mais entrosados e alguns renovando também as esperanças de passar de ano. Mas quem nunca passa de ano de verdade é o professor. Mas mesmo nessa eterna repetência até que dá tempo de aprender.

Nessas férias aprendi um pouco mais sobre configuração de projetores, de câmeras digitais e equipamentos de estúdio. Aprendi que para fixar o suporte para o softbox no teto parafusos normais não serão suficientes, será preciso usar um parabolt, que até ontem era um desconhecido e hoje considero o rei dos parafusos. Aprendi que nem sempre o Galo ganha, mas às vezes empata, perde e decepciona a gente. Aprendi que em determinados momentos de mais ansiedade é necessário tomar mais algumas gotinhas dos remedinhos milagrosos para suportar todas essas de mudanças aqui dentro.

E ainda é necessário e importante conquistar e reconquistar o aluno no cotidiano. Fazê-los aprender com mais força e com mais vibração. Mostrar para eles que vale a pena estudar comigo e quem sabe alcançar a tão sonhada nota 1000 na redação do Enem. É importante pensar que até a prova do Enem temos somente 100 dias, que com muita dedicação vão render frutos tanto para nós, professores, quanto para os alunos e aí, depois do Enem, devagarinho, as aulas vão diminuindo até em dezembro voltarmos às férias. 

E voltaremos a criar mais projetos, mais sonhos, mais desejos, enquanto mais alunos vão sonhar enquanto curtem as férias. Depois do resultado, uns vão para os jalecos e outros para a sala de aula. E o ciclo continuará o mesmo. Com o Galo ganhando ou perdendo. Com minha sala mais cheia ou mais vazia e com a boquinha do Marcelinho cada vez mais cheia de dentes e de palavras. Enquanto isso o tempo vai passando e eu vou planejando essa vida que passa, rápida, mas em uma repetição eterna, entre um e outro Enem. 


educação/blog do maluco

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por