Faça alguém que você ama chorar de tanto rir

Publicado em 02/07/2022 às 06:00.

Mauro Condé*

“A transferência é inevitável. Todo ser humano causa impacto nos outros.” - Patch Adams, em “O Amor É Contagioso”

Acabo de voltar de uma viagem rumo ao conhecimento, usando como meio de transporte excelentes filmes de comédia.

Elas me levaram para o ano de 2014, na cidade de Stamford em Connecticut, Estados Unidos, onde fui recebido por Gene Wilder, a quem fui logo pedindo:

Ensina-me algo que eu ainda não saiba e tenha o poder de mudar a minha vida para melhor.

- Nunca leve a vida tão a sério, afinal você não vai sair vivo dela mesmo rs.

Gene Wilder foi um excelente comediante que atuou em diversos filmes famosos, entre eles "Cegos, surdos e loucos", "A dama de vermelho" e "A fantástica fábrica de chocolate".

Certa vez, ele contou durante uma entrevista que só foi descobrir sua veia cômica por causa de uma tragédia em sua infância.

Quando menino era muito sapeca e vivia aprontando com sua mãe, que era uma mulher batalhadora, sofredora e muito estressada pelo excesso de afazeres e preocupações.

Um dia fez tanta raiva na sua mãe que ela acabou se sentindo tão mal que precisou ser levada de emergência para um hospital.

Atendida, teve diagnosticado um infarto e precisou ficar internada por vários dias.

Numa das visitas ao hospital, Gene foi interceptado pelo médico que foi extremamente claro com ele:

- Sua mãe sofreu um sério abalo na saúde e o coração dela não está nada bom.

- Portanto eu preciso que você pare e pense no que anda fazendo com ela, pois se você não mudar e continuar a estressá-la poderá não desfrutar da companhia dela por muito mais tempo.

Depois de ouvir os conselhos do médico, foi visitar sua mãe e saiu do hospital cabisbaixo e triste se sentindo culpado pelo que tinha acontecido com ela.

Resolveu voltar a pé para casa e quando passava numa rua tranquila avistou, na fachada de um prédio, uma placa – Oficina de atores mirins de comédia.

Por curiosidade, ele entrou, se matriculou e a partir daquele dia nunca mais fez sua mãe sofrer ou se aborrecer com ele.

Ao contrário, passou a fazê-la rir quase todos os dias com suas palhaçadas.

Intuitivamente, ele descobriu que rir era um santo remédio e fazia muito bem para a mente e para o corpo das pessoas.

Ao descobrir que rir libera hormônios da felicidade e proporciona momentos de felicidade para as pessoas, ele transformou a arte de fazer rir na maior missão de sua vida.

*Palestrante, Consultor e Fundador do Blog do Maluco

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por