Sem água, sabonete e álcool em gel. Com pouco acesso aos cuidados de prevenção ao coronavírus, a situação dos moradores de rua é uma das preocupações dos órgãos de saúde no combate à doença. 

Em Belo Horizonte, cerca de 7 mil pessoas vivem em situação de rua, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social. Em meio à pandemia do coronavírus e o pedido de especialistas pelo isolamento social, as secretarias municipais de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC) e de Saúde (SMSA) da prefeitura de Belo Horizonte anunciaram algumas medidas de proteção à população sem casa. 

moradores de rua


Sesc

A parceria para este atendimento está sendo finalizada com o Sesc (Serviço Social do Comércio), que suspendeu as atividades da unidade de Venda Nova e a colocou à disposição da Prefeitura. O serviço, que contará com vagas para 300 moradores de rua, será oferecido de forma compartilhada entre as áreas de saúde e assistência social da Prefeitura. Caberá ao Sesc a disponibilização de estrutura física, enxovais e capas de colchão.

Albergue Tia Branca

Para reforçar o cuidado a grupos que precisam de maior atenção – como os idosos em situação de rua, mas que não apresentem sintomas de gripe –, o Albergue Tia Branca (Rua Conselheiro Rocha, 351 - Floresta) , que oferta regularmente serviço de pernoite, passará a atender também durante o dia, em novo endereço (a ser confirmado). Serão mais 100 vagas em período integral.

Os usuários terão acesso a quartos, alimentação, banheiros, roupas de cama e banho, produtos de higiene e cuidados pessoais. 

Mulheres em situação de rua

Uma unidade de acolhimento já estruturada receberá mais 50 vagas destinadas às mulheres em situação de rua. O funcionamento será liberado na semana que vem.

O acolhimento será prestado em uma unidade domiciliar, em parceria com a ADRA Minas Gerais, e também contará com toda a infraestrutura para alimentação, banho, produtos de higiene e cuidado pessoal, além de equipe técnica para desenvolver o trabalho social de acompanhamento, buscando criar uma rede de apoio para a superação da vida nas ruas. 

A nova unidade de acolhimento para mulheres funciona na rua Rua Argentina, 39, no bairro Copacabana. O acolhimento não é por demanda espontânea. As mulheres serão encaminhadas pelos serviços socioassistenciais. 

Alimentação 

O acesso a refeições diárias nos Restaurantes Populares, de segunda-feira a sexta-feira, também está mantido. As entregas serão feitas uma vez ao dia durante o horário de almoço, aos sábados e domingos, de forma gratuita. 

No último sábado (28), a Prefeitura iniciou a distribuição de marmitex para a população em situação de rua também aos finais de semana. 

Os pontos de distribuição diários serão os Restaurantes Populares, localizados na região central, na área hospitalar, no Barreiro e em Venda Nova, e o Viaduto da Avenida Silva Lobo. Serão mais de 3 mil refeições aos finais de semana.