“Afinal este sujeito quer transformar o ato de tomar sorvete numa cena histórica? Leitor irritado, não é bem isso. Peço apenas que te debruces sobre esta mesa a cuja roda há dois meninos do mais longe sertão. Eles nunca haviam sentido na boca o frio de uma pedra de gelo...”, neste trecho de um conto escrito em 1916, Carlos Drummond de Andrade, então com 11 anos, fala da primeira experiência dele e do amigo Joel, de 13, ao degustarem um sorvete na capital mineira.

A cidade dos bares é também das sorveterias. Dados da Câmara de Dirigentes Lojistas de BH mostram que, em 2019, 3.068 estabelecimentos vendiam e/ou fabricavam sorvetes na metrópole. 

Outra sorveteria já tradicional na cidade, a Easyice comemora 25 anos neste 2021. Tudo começou com uma loja de bairro, segundo relata um dos donos, o economista Francisco Madeira Melo. A primeira loja, na rua Professor Morais, no Funcionários, continua lá, com clientes fiéis. “Na loja, trabalhamos com 60 sabores de sorbets (não levam leite, contam com um baixo teor de gordura e têm mais frutas do que o sorvete tradicional) de bola, de massa. Entre sorvetes, picolés e açaís, temos mais de 100 produtos cadastrados”, conta Melo.

Alquimia
O segredo da longevidade do negócio, acredita ele, é uma alquimia desenvolvida ao longo dos 25 anos. “Não seguimos as regras que estão nos livros, a gente entrega um sorvete que surpreende. Quando o cliente toma o sorvete de doce de leite, a gente tem a preocupação de fazer um blend de diferentes tipos de doces de leite. Fazemos tudo dentro de casa, não compramos nenhum ingrediente. Não vendemos aroma de morango, mas sorvete de morango, com fruta ou polpa”, afirma.

A partir dessa fórmula, a Easyice mantém três lojas e uma fábrica na região metropolitana e fornece sorvetes a revendedores. Francisco Melo diz que, nesta primavera-verão, a marca lança uma linha nova de sorvetes premium frios, para ser vendida em padarias e empórios. São 24 sabores de sorbets, à base de água e fruta, com os diferenciais diet e light incluídos.

Saúde
Aliás, estar atento aos ingredientes dos sorvetes é importante para manter a saúde em dia. A professora do curso de Nutrição das Faculdades Promove Aline Pinheiro orienta que o ideal é optar pelos gelados e sorbets, que costumam ser mais leves. Ela adverte que aqueles que têm gordura, como a hidrogenada, e aditivos do tipo corantes e conservantes, além de ganho de peso, podem ocasionar o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes. “O ideal é preparar em casa um sorbet bem natural e saudável, que ajuda a hidratar neste calor, tem fibras e antioxidantes. Basta pegar pedaços de frutas e congelar. Essas produções caseiras são muito bem-vindas”, ensina a nutricionista.

Depois de saborear um sorvete de jabuticaba na São Domingos, a médica Ana Elisa Oliveira fez uma ponderação semelhante: “Gosto de sorvete, e, como tenho intolerância à lactose, opto pelos de fruta, à base de água. Mas, sorvete é sorvete, tem açúcar. É gostoso demais, pode de vez em quando, como neste calor”.

Leia também:

Dia do Sorvete, tão apreciado neste calorzão, é celebrado na próxima quinta