Se na moda o conceito hi-lo (mix de peças luxuosas com outras despojadas) já é mais que tendência, um estilo de vestir, na decoração ele ainda vem buscando espaço para se firmar como opção interessante e democrática. Marca registrada da mostra Morar Mais Por Menos, que abriu as portas em Belo Horizonte na última semana, a mistura de peças de design a itens customizados, que podem ser feitos pelo próprio morador, comprova que ter uma casa bem arrumada e estilosa não precisa custar caro. 

Um dos ambientes que mais chama a atenção é o Quarto da Blogueira, assinado por Amanda Silveira e Marina de Lara, da Viés Design. O espaço tem desde mesinha de canto feita com malas empilhadas a uma parede-mosaico construída com cabides de madeira. Moderno, o dormitório, que é também espaço para fotos e escritório, é exemplo clássico de que é possível fazer sozinho gastando pouco.

Curadora e realizadora da mostra, que toma palco numa casa na rua Conde de Linhares, no bairro Cidade Jardim, Zona Sul, Josette Davis diz que o evento quebra paradigmas ao provar que equilíbrio é a chave para decorar gastando menos. “O visitante não se sente constrangido de entrar e abordar o profissional, que já é mais acessível. Mostramos que é possível dosar peças mais caras a outras de baixo custo e obter um resultado agradável aos olhos”.

Menos resíduo

Outra dupla que seguiu à risca o conceito do evento, recheado de boas ideias, foi Aline Ferreira e Ana Amélia Goulart, que assinam o Estar Íntimo do Fotógrafo, primeiro cômodo do andar superior do imóvel. O ambiente, que prezou pelo mínimo desperdício de materiais e, portanto, de lixo destinado a aterros, mescla esculturas e quadros mais caros a mesinha feita com pallet (usado para armazenar legume em feira), passando por pufe de pneu e molduras de papel cartão. 

“Criamos um ambiente bem moderno, jovem, alegre, mas apostando na modalidade de decoração sustentável. O mais interessante é que as peças não têm cara de produto reciclado, parecem coisa nova”, reforça Aline, mencionando o pufe, uma das estrelas do ambiente, encapado com suede azul, tecido versátil e moderno.

Responsável pela Copa Noturna, ao lado de Isabella Machado, a arquiteta Raquel Costa mostrou que fazer escolhas é essencial para gerenciar bem os gastos com a decoração da casa. Caprichou na marcenaria, etapa mais cara do projeto, mas equilibrou as despesas com soluções inteligentes e até curiosas como um revestimento acobreado feito de tampinhas de garrafa. 

“Às vezes a pessoa não tem recurso para investir em tudo de alto custo. Basta mesclar ideias, apostar no que dá para fazer em casa e ter um resultado ao mesmo tempo bacana e original”, ensina. O ambiente custou R$ 16 mil.

Leia mais:

Mais do que aconchegante: ‘casa viva’ é o mote da CasaCor 2018, que começa na terça

Micro, mas confortável: morar em mini-apartamentos requer planejamento e praticidade

'Conjugado' funcional: cozinha e lavanderia organizados dão fluidez às tarefas do dia a dia

Além disso:

A mostra Morar Mais Por Menos carrega o slogan “o chique que cabe no bolso”. Além de ter ideias de acessórios, móveis e até de revestimentos que podem ser replicados em casa, o visitante pode comprar o que foi produzido pelos profissionais e está exposto em cada ambiente. Todos os espaços disponibilizam fichas detalhadas sobre o projeto desenvolvido, incluindo os preços de cada item e o custo global.

Criado no Rio de Janeiro, de onde partiu para outras capitais como Goiânia, São Paulo, Curitiba, Cuiabá, Recife e Rondônia, o evento é uma oportunidade de renovação do mercado profissional, ressalta Josette Davis, curadora e idealizadora da mostra em BH. “Lógico que existem profissionais experientes, com muitos clientes, mas que nunca fizeram uma mostra. Por outro lado, é uma oportunidade de olhar para novos talentos e de colocar sangue novo no mercado”, diz. 

Realizada numa casa de dois andares, que inclusive está à venda, localizada no bairro Cidade Jardim, região nobre da capital mineira, a 12ª edição da Morar Mais Por Menos reúne um time formado por 75 profissionais responsáveis por criar 39 espaços. Quem quiser conhecer cada cantinho da exposição tem até 23 de setembro. O local conta ainda com o Adrobar, espaço de artes visuais, palestras, shows, DJs e gastronomia com participação do Câe Restaurante Bar, das cervejarias Krug Bier, Prussia Bier e Uaimií, além de uma drinkeria.

Confira fotos de alguns dos espaços e ideias da mostra:

Morar Mais Por Menos

PALCO ADROBAR
Já pensou em reutilizar as fitas K7 e VHS que tem em casa? Foi o que fez o quarteto da Pigmento Arquitetura (Jordana Cotta, Bárbara Chaves, Gabriela Brasil e Pedro Melo). Material que seria arquivado ou descartado deu vida à mesa do DJ. Espaço tem moldura de madeira reaproveitada sustentada por barras de aço. Preço da mesa: R$ 1.600

Morar Mais Por Menos

ALPENDRE MOMENTOS
Canteiros de suculentas estão super em alta e podem virar, inclusive, “recheio” de mesa. Foi a aposta da arquiteta Ana Luiza Guimarães para a bancada com tampo de vidro. Vegetação foi plantada em uma espécie de bandeja metálica para facilitar a rega e acomodada no vão do aparador. Ambiente também tem balanços de corda. Preço do vidro da mesa: R$ 125

 

Morar Mais Por Menos

ESTAR ÍNTIMO DO FOTÓGRAFO
Espaço mistura objetos sofisticados, como esculturas e quadros, a outros, mais simples, como mesinha de pallet, moldura de papel cartão e pufe feito com pneu revestido. Ambiente é assinado pelas arquitetas Aline Ferreira e Ana Amélia Goulart. Preço de cada pufe: R$ 360

Morar Mais Por Menos
QUINTAL ZEN 
Maria Elisa Lara, Tamara Clemente e Fernanda Miranda apostaram no conceito minimalista para construir os charmosos banquinhos de concreto. Acessórios são feitos com quatro blocos e cobogós amarrados com fio de malha. Preço de cada banco: R$ 65
Morar Mais Por Menos
ESCRITÓRIO DO JOVEM COSMOPOLITA
Quem observar de pertinho, verá que o revestimento da parede nada mais é do que jornal retorcido, transformado em rolinhos delicadamente acomodados. Pnto de partida do espaço assinado por Lívia Espíndola é o reúso de materiais descartáveis aproveitados de forma bem elegante. Preço da parede: sob consulta
Morar Mais Por Menos

COPA NOTURNA
Ambiente das arquitetas Raquel Costa e Isabella Machado, da Havila Armários, privilegia aproveitamento das mini-cozinhas de forma sustentável, prática e bonita. Para equilibrar o custo dos armários planejados (parte mais cara), revestimento com tampinhas de garrafa pintadas com spray. Local tem armarinho de parede feito com pallets, luminária com caixa de pizza e mesinha com matéria-prima de ferro-velho. Preço do revestimento: R$ 30

Morar Mais Por Menos
QUARTO DA BLOGUEIRA
Projeto das arquitetas Amanda Silveira e Marina de Lara, da Viés Design, tem uma série de ideias para reproduzir em casa. Uma delas é a parede de cabides, que além de remeter à moda e ter, portanto, tudo a ver com a essência do quarto, confere originalidade ao espaço. Acessórios foram dispostos em direções contrárias para criar efeito de um papel de parede ou mosaico. Local também tem mesinha de canto feita com malas. Vale a pena conferir! Preço do mosaico: R$ 210
Morar Mais Por Menos
LOJA OCA CRIATIVA
Concebida com móveis customizados e reúso de materiais, como o painel em telha galvanizada, as estantes de aço modular com nichos em compensado e as tábuas de pinus estruturadas em mão francesa. Também tem luminária de compensado com tela de galinheiro e balcão em chapas de duas cores. Projeto assinado por Miriam Gatti e Gabriela Brasil
Morar Mais Por Menos

ESPAÇO CONCEITO BOUTIQUE FÉRREA/QUARTO DO CASAL
Ambiente da arquiteta Renata Campos mescla o clássico com o moderno, priorizando conforto, mas apostando na sustentabilidade. Um dos pontos artes é a String Art do artista André Santiago, de BH, que critou duas silhuetas na parede usando somente pregos e linhas. Preço: sob consulta

Morar Mais Por Menos

EXTAR
Local projetado pelos arquitetos Franciele Oliveira e Paulo Valéria aposta em elementos arquitetônicos contemporâneos e criações divertidas, como o banco feito a partir de porta de ferro de enrolar, daquelas usadas em loja. Preço da porta: R$ 1.200