Videogames deixaram de ser brinquedo há muito tempo. E uma prova irrefutável disso são os campeonatos de e-Sports que movimentam cifras milionárias e já ocupam um bom naco das grades de emissoras esportivas. Nesse cenário, o Mundial de “League of Legends” surge com a Copa do Mundo dos games, com premiações de mais de R$ 25 milhões. 

A competição teve início ontem, em Berlim. A primeira fase, que segue até terça-feira, funciona como uma “Pré-Libertadores”, em que serão definidos os times que irão para a fase de grupos. Representando o Brasil está a equipe do Flamengo, que disputará vaga com outras 11. 

As equipes são divididas em quatro grupos com três times. Os dois melhores de cada chave avançam para a segunda eliminatória. Dos oito restantes, apenas quatro irão para a fase de grupos, que conta com outros 20 times já classificados e ocorrerá dos dias 12 a 15 e de 17 a 20. 

As quartas de final e semifinais serão disputadas em Madri, entre 26 e 27 de outubro e 2 e 3 de novembro. Já a final acontecerá em Paris, em 10 de novembro.

Grupo da Morte
Os rubro-negros estão na chave D, a mesma dos times da Turquia e Coreia do Sul, no chamado “Grupo de Morte”. 

Vale lembrar que em “LoL”, Brasil e Turquia protagonizam rivalidade semelhante à que temos com os hermanos nas quatro linhas.

Prêmios
Não é novidade para ninguém que o mercado de games se tornou o ramo mais lucrativo da indústria do entretenimento. No ano passado, o faturamento global do setor foi de US$ 138 bilhões (R$ 572 bilhões), segundo a Global Games Market Report. Para este ano, a expectativa é que os valores cheguem a US$ 152 bilhões (R$ 630 bilhões).

E com tanta grana em caixa, nada mais justo que pagar gordas premiações para alavancar ainda mais a popularidade dos jogos. No ano passado, o Mundial de “League of Legends” distribuiu US$ 6,4 milhões em prêmios, que numa conversão atual corresponde a R$ 26,5 milhões. Desse montante, o time vencedor, o chinês Invictus Gaming, faturou a bolada de US$ 2,4 milhões (R$ 9,96 milhões). 

Se pagar esse valor pode parecer exagerado numa competição de games, fique sabendo que “LoL” está longe de ser o jogo que mais distribui dinheiro para os participantes. Em 2018, o mundial de “Dota 2”, o “The International 9” pagou US$34,3 milhões (R$ 142 milhões) em prêmios. A segunda competição mais generosa é o campeonato de “Fortinite” que distribuiu US$ 30,4 milhões (R$ 126 milhões). 

Como jogar
O game “League of Legends” é um MOBA, sigla para Multiplayer Online Battle Arena. Trata-se de um game de estratégia em que é preciso derrotar as forças do oponente. Com visão isométrica (visto de perspectiva), é preciso avançar pelo mapa até a base inimiga. Cada integrante tem sua função, como num time de futebol.

São eles: o Topo (que é o linha de frente do grupo), o Caçador (responsável por abrir o mapa e eliminar inimigos que tentem avançar no território) e o Meio (que faz rota pelo centro do mapa e também “puxa a marcação”). Há ainda o Atirador (personagem de maior poder de fogo) e o Suporte (que atua como zagueiro). 

Ficou interessado? Lançado em 2009, o game tem versão exclusiva para PC. A boa notícia é que “LoL” é gratuito, mas prepare o bolso para as transações internas dentro do game. Caso o amigo se interesse em ser um competidor, é preciso investir numa máquina robusta, teclados, mouse e fones profissionais. Afinal, só parece, mas não existe almoço grátis!