Embora apareça, quase sempre, envolvido no contexto do trabalho, e, portanto, acabe sendo mais exercitado no âmbito das relações profissionais, o propósito de vida deve ser buscado numa caminhada cotidiana, que reúne sete principais passos ensinados pela pedagoga e especialista em neuroaprendizagem Francislaine Maciel.

Gerente de Produtos Pedagógicos do Centro Brasileiro de Cursos (Cebrac) – instituição que oferece formações técnicas e em desenvolvimento pessoal –, a especialista diz que o ponto de partida é reconhecer qualidades e pontos fortes. “O que temos de bom, o que fazemos bem é o que aplicamos a nosso favor e em favor de uma causa”.

Segundo passo é elencar pessoas que admiramos e com as quais, por esta razão, temos algo em comum. “Encontrar afinidades, princípios alinhados aos nossos, ajuda a enxergar nosso próprio propósito”, justifica a especialista. 

Propósito de vida

Definir pontos fortes e qualidades, elencar pessoas admiráveis e ter consciência dos próprios sonhos ajuda a traçar o caminho que leva até ele

Talentos e felicidade

Refletir sobre os próprios talentos, fazer algo prazeroso por pelo menos dez minutos diários e focar em coisas que nos despertam felicidade são outros pontos importantes na caminhada do autoconhecimento e, portanto, da descoberta do propósito, diz Francislaine Maciel. 

O caminho também deve incluir sonhos, que precisam ser mais do que elaborados, materializados. “Quando anotamos, tiramos do campo das ideias”. 

Experimente, ainda, alinhar-se a seus princípios e valores. “Familiares, relacionados ao trabalho, princípios que carrego comigo e nos quais está pautada minha vida. É impossível nosso propósito estar desalinhado deles”.

Ponto a ponto:

Algumas perguntas também podem ajudar a traçar o seu propósito de vida (escreva as respostas em um papel para organizar as ideias):

  • Qual é a coisa mais importante na minha vida?
  • Qual foi o maior obstáculo que já superei? Eu poderia ajudar outras pessoas a enfrentarem o mesmo obstáculo?
  • Quem são as pessoas que mais admiro? E porque admiro tais pessoas?
  • Quais são os assuntos que mais trazem empolgação?
  • Quais são meus pontos fortes e fracos?
  • Como me vejo daqui a 5, 10 anos?
  • Qual foi a última atividade ou projeto em que eu mergulhei de cabeça e tive a sensação de me sentir satisfeito e orgulhoso(a)?
  • O que eu mais lamento não ter feito na vida ainda?

Fonte: Sobrare (Sociedade Brasileira de Resiliência)

Leia mais:

O que te move? Consciência do propósito de vida é caminho mais certeiro para a felicidade

Grafologia revela traços da personalidade e ajuda até em seleção para vaga de emprego

O passado cura: regressão a outras vidas ajuda a vencer traumas emocionais e físicos