Não é de hoje que tenho uma relação de discórdia com games de tiro online. Lembro dos primeiros FPS que joguei e lembro das formas absurdas que fui abatido, como em Battlefield 3, que um ordinário me atropelou com um F/A-18! Maldito, até hoje me pergunto como aquele fedazunha fez aquilo. Semana passada voltei ao multiplayer online de “Call of Duty: Warzone”. 

“Warzone” foi uma grata surpresa da Activision, para quem andava a procura de mais um game de tiro multiplayer. Gratuito como os principais games do gênero (“Fortnite”, “Free Fire”, “Apex” e “H1Z1”), assim como “Call of Duty Mobile”, ele é uma extensão de “Modern Warfare”. No entanto, não exige que se tenha o game, lançado no final de 2019. 

Qualquer um pode baixá-lo, desde que tenha paciência. Isso porque para quem não tem “MW” instalado na máquina precisa fazer um download de 100 GB. Enquanto aqueles que conta com o game base, só precisam de aproximados 19 GB a mais. Ele se torna executável com esse pacote menor de dados, mas dá acesso apenas ao modo treino.

Trata-se de uma arena de paintball, em que o jogador enfrenta outros “supostos” jogadores. Digo isso pois nas partidas que joguei, derrotei meus oponentes de lavada. Algo estranho, uma vez que sou completamente inábil em FPS online. Mas esse passa tempo serve para quem nunca jogou um game do tipo se ambientar com comandos. Após a instalação ainda há um treinamento para comandos mais complexos.

O jogo
Um jogo bonito, com 150 jogadores simultâneos em seu modo Battle Royale. Vale dizer que o game ficou muito bom. Já tinha gostado muito de como a Activision trabalhou nessa modalidade em “Black Ops 4”. Afinal o game trazia todo um arcabouço de franquia, um mapa gigantesco e toda experiência em jogabilidade da série.

“Warzone” apresenta uma série de tarefas, recompensas, conquistas e claro microtransações. Basicamente o game se divide em dois modos: Battle Royale e Saque. O primeiro é o conhecido mata-mata em que vence o último jogador. No entanto, em Warzone o jogador disputa as partidas em trio. 

O fato de atuar com companheiros, escolhidos aleatoriamente pelo servidor, permite te colocar novamente em combate, com auxílio médico ou até pagar por seu resgate. Isso mesmo, na lógica do game. Quando o jogador é abatido ele vai para uma prisão. 

Lá ele duela com outro jogador. Quem sobreviver volta à partida. No entanto, é possível pagar (com dinheiro recolhido na partida) para te trazer de volta. Mas isso depende da boa vontade do time.

Bolada
O segundo é mais tranquilo, funciona como as competições em equipe. Os times precisam arrecadar o máximo de dinheiro possível. A grana está espalhada pelo mapa e diferentes grupos tentarão pilhar o montante. Neste modo, após ser abatido,  o jogador retorna em cerca de 15 segundos e pode perder parte da grana, além dos armamentos coletados. Das duas opções, foi a mais legal, pois não é tão efêmera quanto o Battle Royale.

Crossplay
Um dos trunfos de Warzone é o fato de ele ser crossplay, que significa que jogadores de PC, PS4 e Xbox One possam jogar na mesma sala. Teve gente que questionou as diferenças de hardware, que poderiam tornar o combate desproporcional, como uso de mouse e teclado, contra joystick. Assim como capacidade de processamento dos aparelhos. 

Mas, mais uma vez o grande gargalo fica por conta da conexão. Internet lenta é o caos em qualquer jogo online. Em “Warzone” muitas vez o jogo dá uma acelerada para compensar atrasos. E isso acaba tirando a graça. 

No entanto, o lance do crossplay é legal pois te coloca num universo integral do game. Segundo Activision, o game acumulou 15 milhões de jogadores ativos nos primeiros dias de sua publicação. E isso é legal, pois torna o game mais competitivo.

Ruim é para sujeitos como eu, que não têm coordenação e nem condicionamento para encarar uma galera enfurecida, que te elimina num piscar de olhos. É sério, numa sessão de aproximadamente quatro horas, consegui eliminar menos de 15 oponentes. Em contrapartida foi abatido inúmeras delas. Algumas ainda no paraquedas.

Call of Duty: Warzone é gratuito e disponível para PC, PS4 e Xbox One.