É fácil imaginar que qualquer pessoa gostaria de saber como vai ser a sua vida neste 2021, no futuro próximo. E, mais ainda, como torná-la melhor do que tem sido desde o começo da pandemia de Covid-19, em março de 2020 – há quase um ano, portanto.

E muita gente tem buscado alternativas que ajudem a enxergar e a traçar novos caminhos. “Sim, tive uma procura grande pelo tarô entre o final do ano e janeiro, principalmente, porque tem uma tiragem que a gente faz no tarô, a mandala, que dá uma projeção para cada área da sua vida”, pondera a terapeuta holística Daniela Mata Machado.

Sinais
Ela explica que usa o tarô mais como uma ferramenta diagnóstica, não como um instrumento divinatório. Daniela trabalha também com mapa numerológico, que, segundo explica, “é mais uma análise de personalidade, de caminhos, mostra, por exemplo, o que este ano sinaliza para você”.

Algo importante que Daniela Mata Machado aponta é que a numerologia dá indicativos de como será o seu ano. A partir disso, você pode agir. “Até por trabalhar como terapeuta, eu acredito que não tem nada que está dado. Quando você sabe que este é um tempo de trabalho, já sabe que vai colher lá na frente o que plantou”, detalha.

Flávio Teixeira de Abreu

O terapeuta integrativo Flávio Teixeira de Abreu, que é fisioterapeuta por formação, trabalha com várias ferramentas, como mesa radiônica e o All Love, praticado na imagem

Sem mágica
“Às vezes, as pessoas têm a ilusão de que as técnicas quânticas são mágicas. Elas não são. São catalisadoras”, reforça o terapeuta integrativo Flávio Teixeira de Abreu, que é fisioterapeuta por formação e trabalha com várias ferramentas, como mesa radiônica, acupuntura, constelação familiar e outras.

As mesas radiônicas, explica Flávio, são placas com símbolos de geometria sagrada e portais acionados através de comandos quânticos. “Esses portais vão criar vias de acesso para dentro da energia das pessoas, ver questões que precisam ser trabalhadas, coisas que podem ser limpas”.

O objetivo da atuação, afirma o terapeuta, é sempre trabalhar o interno para modificar o externo. “Meu trabalho não tem uma finalidade oracular, de fazer previsões. A gente vê qual é a dinâmica que as pessoas estão vivendo. Me procuram para questões bem pontuais, como problema de relacionamento, repetição de padrões, busca de consciência do propósito pessoal. Faço um diagnóstico e defino quais ferramentas serão usadas no tratamento”, conta Abreu.

Pedidos de ajuda
Nesta pandemia, as pessoas estão pedindo ajuda, confirma também a terapeuta Alessandra Guimarães, que usa a leitura da aura para fazer diagnósticos e trabalha com diferentes ferramentas de apoio aos clientes. “Meu trabalho cresceu muito. As pessoas estão querendo soluções para coisas que já existiam e não percebiam. Os relacionamentos estão passando por crises. As pessoas estão questionando qual é o papel delas. Estão mais preocupadas com o autocuidado”, pondera. 

O propósito da leitura da aura, diz Alessandra, é trazer o inconsciente para a consciência. “Me conecto com uma energia que há em volta do corpo físico da pessoa, uma camada energética chamada de campo aurífico. Aí estão todas as informações da pessoa. Me conecto com a sua essência. É uma ferramenta muito amorosa, que mostra como a pessoa está lidando com este momento da vida”, detalha a terapeuta.

O passo seguinte, diz, é definir como pode ser feito um tratamento. “Podemos sequenciar as terapias e, depois, usar Reiki, florais e óleos essenciais, por exemplo, a aromaterapia ajuda muito”. 

Consenso entre esses terapeutas é que tratamentos médicos devem ser mantidos. O ideal é conciliar recursos que promovam saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Leia mais:

Método preditivo antigo da cultura tibetana, Cartas de Mo apresentam respostas e orientam