Acessórios indispensáveis em qualquer tipo e estilo de ambiente, tapetes proporcionam aconchego e conectam mobiliários da decoração. Responsáveis por arrematar o arranjo feito com os demais adornos, devem ser escolhidos com base no tamanho e nas necessidades do espaço, na função esperada dele e, claro, no gosto do morador.

Designer de interiores, Fabiana Visacro não dispensa o acessório nos projetos que executa. Na avaliação dela, além de setorizar sutilmente os ambientes e de ajudar no arremate dos projetos, a peça compõe e aquece. “O conforto que gera ao impedir o contato dos pés direto com o chão frio é muito agradável. Até para quem é alérgico ou tem animal de estimação, há a possibilidade de modelos vinílicos com tramas e cores incríveis”, afirma. 

Ela explica que é possível, inclusive, selecionar modelos diferentes para um mesmo ambiente, desde que haja coerência nas escolhas. Sobreposições também estão em alta, comenta a profissional, lembrando que os acessórios precisam falar a mesma linguagem, mas não necessariamente ser da mesma padronagem ou cor. 

TAPETE

Quem não gosta de tapetes muito grandes, principalmente no quarto, pode e deve investir em modelos menores, como neste felpudo colocado na lateral da cama. Objetivo, nesse projeto, é dar aconchego e conforto térmico. Tamanho e modelo do acessório devem ser escolhidos conforme o estilo da decoração e do morador

“Mesmo quando há diferença entre eles, a transição de cores e estampas pode ser feita de maneira suave e agradável aos olhos. Já a sobreposição pode ser uma estratégia para pisos danificados e para preencher espaços muito grandes”, ensina a designer. 

E engana-se quem pensa que somente as áreas sociais da casa e os quartos podem receber tapetes. “A limitação que temos em relação a isso é somente quanto ao material. Na cozinha, por exemplo, os melhores são os emborrachados. O mesmo vale para os banheiros”, diz.

Duradouras

A arquiteta Estela Netto também é adepta do conforto proporcionado por eles. Segundo ela, o acessório pode ser encarado como recurso para mudar a cara de uma decoração de forma simples e descomplicada. 

Para quem deseja investir em peças duradouras e evitar o troca-troca, a dica é observar o conforto térmico proporcionado, considerando o tamanho do pé direito – quanto mais alto, mais fresca a casa –, assim como o sistema de ventilação do local.

TAPETE

Passadeiras, que percorrem toda a cozinha, ajudam não só a compor o visual do ambiente como proporcionam mais conforto nas tarefas domésticas. O ideal, conforme a arquiteta Estela Netto, é investir em peças emborrachadas, que podem ser higienizadas com maior frequência e, assim, mantidas sempre limpas. No projeto ao lado, listras em tons terrosos “conversam” com o amarelo do armário aéreo

“São elementos que ajudam a definir quais tapetes utilizar, justamente para ninguém ficar refém de trocas a cada estação do ano. Uma casa com pé direito alto, por exemplo, aceita um tapete com fibras mais quentes, pois não vai impactar tanto na temperatura ambiental”, reforça. 

A arquiteta também lembra a importância de avaliar o espaço como um todo, levando em conta mais do que os aspectos estruturais. “Qual decoração será usada? Qual função irá exercer? O espaço será de grande ou pouca circulação? Os moradores têm alergia? Tudo isso vai direcionar o material, o tamanho e as melhores estampas e cores”. 

TAPETE

Assim como podem ser mais discretos, usados para dar um toque de cor ou personalidade ao ambiente, os tapetes também podem virar o centro das atenções. Na sala da foto ao lado, que tem uma decoração moderna e arrojada, o modelo, de tecido natural, contém as cores do espaço, indo dos tons neutros aos lilases e azuis

A delimitação do espaço, por sua vez, não segue regras tão rigorosas. Os tapetes podem abraçar os móveis de um ambiente, se configurar como centro das atenções, ser pequenos ou bem grandes. 

“Se o local for muito grande, o uso de sobreposição é interessante. Geométricos combinam com decoração mais contemporânea. Já os de tom neutro vão bem com qualquer decoração”, acrescenta Fabiana Visacro. 

TAPETE

Na hora de instalar o acessório, não é preciso seguir essa ou aquela regra. Foi escolhida peça estampada, que contrasta com a sobriedade do restante da decoração, mas mantém a harmonia. Acima, o tapete percorre toda a extensão da sala de TV, ficando sob o rack e o sofá

Três dicas básicas para acertar na escolha:

1- Tamanho
O tamanho do acessório é uma escolha relativa, que vai variar conforme gosto e estilo do morador. Mas é importante levar em conta um fator específico: as dimensões do ambiente. Se o espaço for muito pequeno, por exemplo, não é interessante escolher uma peça grande demais, que ficará desproporcional e chamará mais atenção do que o restante dos adornos. Nesse caso, compatibilizar as medidas é essencial. 

TAPETE

Problema nenhum se der vontade de usar duas peças diferentes em ambientes vizinhos. No projeto acima, foram utilizados dois que se complementam principalmente quanto aos tons, neutros. Na sala de jantar, uma peça quadriculada feita em couro; na de estar, acessório felpudo, bem clássico. Observar o material antes de levar para casa é importante para garantir acessórios duráveis

2- Formato
Da mesma forma, o formato da peça também é bastante subjetivo, ou seja, cada um escolhe aquele com que mais se identifica. Quem não deseja transformar o tapete no centro das atenções, entretanto, deve evitar modelos muito diferentes dos convencionais (retangulares e quadrados), tais como os redondos. Importante, portanto, é saber qual é a função esperada da peça naquele projeto.

3- Material
Cozinhas recebem melhor modelos longos, estilo passadeira, e emborrachados, que evitam acidentes e podem ser lavados com maior frequência. Nos banheiros, os de dimensões menores, felpudos e altos são bem-vindos, pois proporcionam maior conforto aos pés e ajudam a evitar o contato direto com o chão frio. Nos ambientes quentes, prefira materiais como polipropileno (fibra sintética), sisal e algodão, que mantêm a temperatura.

TAPETE

Acessórios também funcionam como delimitadores de ambientes para casas muito abertas, cujos espaços são compartilhados. No projeto ao lado, o tapete com estampa geométrica abraça exatamente a área destinada à sala de TV. Para dar ainda mais definição, aposte em cores que estejam presentes nos móveis e demais objetos

Leia mais:

Layout e mobiliário certos deixam cozinha funcional e irresistível

Brutalismo: de simplificador de acabamentos a estilo moderno, ousado e elegante

Patchwork de memórias: cuidado e equilíbrio para usar antiguidades na decoração de casa