Games de corrida figuram num nicho bastante restrito de jogadores. Séries como "Gran Turismo", "Need For Speed" e "Forza" conseguem arrematar grandes volumes de vendas, pois apostam num padrão de jogabilidade mais amigável. Por outro lado, quanto maior o realismo, mais fechado é o grupo de jogadores. E quando se fala em rali, o funil é ainda mais estreito. E fecha mais ainda quando se propõe uma simulação na terra, como nos três últimos episódios da série "Dirt", que acaba de anunciar "Dirt 5", que resgata uma proposta mais casual, experimentada com sucesso no início da década.

A Codemasters sabe muito bem como funciona a dinâmica de seus jogos de rali. O estúdio britânico se especializou em corridas nos anos 1990 e se tornou referência no segmento. Entre seus selos mais populares está "Dirt", franquia que nasceu em 1998, como "Colin McRae Rally" e, após o falecimento do piloto escocês, se tornou apenas "Dirt", seguindo o padrão das demais séries "Toca" e "Grid".

E foi nessa virada de identidade que a franquia resolveu apostar num formato diferente. Na era McRae, a série buscava empregar realismo de uma prova de rali ao jogador. Com "Dirt" a chave virou para um modelo mais amigável, puxando para o estilo arcade. O Resultado foi mais que positivo. 

"Dirt 3", por exemplo, fez grande sucesso. O game inseriu competições performáticas ao melhor estilo Ken Block, em que era preciso fazer verdadeiras acrobacias com o carro em arenas cheias de obstáculos. Ele ainda incluiu uma grande variedade de provas, como rallycross, duelos em pistas paralelas e outras modalidades.

Purista

No entanto, em 2015, a série mudou o foco novamente para o estilo simulador, com leque de provas regulares e modelos de diferentes gerações. A receita foi repetida em 2017, com "Dirt 4" e no ano passado com "Dirt 2.0". Os games contaram com suporte de pilotos e engenheiros no desenvolvimento. As três edições receberam notas elevadas e conquistaram diversos prêmios. Mas nos números de vendas nunca surpreenderam.

Para se ter uma ideia, "Dirt Rally" vendeu cerca de 140 mil cópias no período de lançamento para PC. Já "Dirt 4" anotou 240 mil vendas, segundo o Steam Spy, site que monitora os números de vendas dentro da plataforma Steam. São desempenhos medíocres para qualquer game de tiro, aventura ou esportes. Mas por outro lado, não está longe da realidade de um nicho tão fechado.

Broncas

O problema segundo jogadores em diversos fóruns de discussões pontua a elevada dificuldade para jogar e a repetitividade. Em um grupo sobre games de corridas no Facebook, um dos participantes disse ter desistido do game pois é praticamente obrigatório ter volante e pedaleira para conseguir ser competitivo ou apenas manter o controle do carro, assim como a repetitividade.  

Já no Steam, as avaliações de "Dirt 2.0" se equilibram entre negativas e positivas. Quem é fã de rali não do que reclamar. No entanto, muita gente questiona que o game é um mais do mesmo em relação aos dois antecessores. E de fato são muito parecidos. Há evoluções de jogabilidade e lista de carros, mas no frigir dos ovos são muito semelhantes. Outra reclamação é do excesso de penduricalhos colocados a venda. Carros, provas que acabam encarecendo o preço final do jogo.

Nova fase

Agora a marca pretende repetir a receita de "Dirt 3", com um game mais casual e com valores bem agressivos. Na Steam ele já pode ser encomendado por R$ 110. Mas fato é que "Dirt 5" chega no final do ano com a promessa de ser um jogo divertido e colorido, bem aos moldes de "Forza Horizon 4", que coloca o jogador numa festa automotiva. 

E a aposta da Codemasters é fazer com que o game seja um dos pioneiros da nova geração de consoles (PS5 e Xbox Series X), que também estreiam no final deste ano. Pelo material divulgado até agora, o game promete gráficos impecáveis e uma jogabilidade bem dinâmica, que não exige treinamento de piloto para obter sucesso.

"Dirt 5" oferece modo carreira, em que o jogador vive uma rivalidade com outro piloto, dublado pelo ator de voz Nolan North, que deu voz a Nathan Drake (Uncharted). Trata-se de uma historinha padrão "Sessão da Tarde" em que os dois pilotos brigam pela fama, com direito a dramatizações entre cada desafio.

O game insere carros com muscle cars, bugues, picapes, assim como carros de competição numa salada de desafios, regada a batidos fortes e cenários festivos, que inclui o Brasil. Ou seja, "Dirt 5" chega para ser a rave dos games de corrida da nova geração, onde todo mundo quebra tudo sem se importar com a lama.

Game terá edições para PC, PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X e Google Stadia.