Tornar um ambiente aconchegante e harmonioso passa pela escolha correta da paleta de cores, do estilo dos móveis, do tecido das cortinas e estampa das almofadas e, claro, pela definição do sofá. A peça, fundamental na composição de salas de estar e TV, de varandas e jardins, deve seguir três regras básicas para não destoar dos demais elementos: dimensões, proporção e finalidade.

Como ponto de partida, os dois primeiros devem caminhar juntos. A ideia é que a peça não só caiba no local para o qual foi eleita como seja proporcional ao tamanho do ambiente. “O lugar pode até comportar uma mobília maior, mas não adianta colocar um sofá gigantesco que vai prejudicar o resto da decoração”, explica a designer de interiores Laura Santos, reforçando a importância de haver equilíbrio entre todas as peças presentes.

Observar a finalidade do móvel também é fundamental para acertar na escolha. Salas de estar pedem modelos mais leves e delicados, menos robustos. Aposte nos de braços finos e encosto confortável, indica a profissional. E se o ambiente tiver dupla função, escolha um pufe bonito, que servirá de apoio para os pés.

Importante lembrar também de ser coerente com o estilo da decoração. Junto com a mesa de jantar, o sofá é o móvel que dará a “cara” do ambiente. “Não adianta querer mesclar todos os estilos num mesmo lugar aleatoriamente”, alerta Laura Santos.

Receita

Quem não é muito familiarizado com o tema pode fazer a lição de casa com a designer de interiores Fabiana Visacro. “Assento e espaldar captonados ficam ótimos em ambientes clássicos. Os mais lisos, ‘magros’ e com poucos detalhes são modernos e ficam perfeitos em locais integrados. Já os de pé palito remetem ao retrô, assim como os aveludados”, ensina.

Estabelecer uma harmonia não significa, porém, engessar todas as peças e criar conjuntinhos. Dá para misturar tendências, desde que com cautela, explica Fabiana. “É possível ter estilos diferentes, sim, mas eles não podem dar a impressão de estarem soltos ou perdidos naquele lugar”, coloca. Nesse caso, complemente o projeto com papel de parede ou luminária que falem a mesma língua dos móveis.

Tecidos de algodão são mais confortáveis, pois permitem a transpiração, ideais para espaços de uso constante; sintéticos e de couro devem ser evitados nas salas de TV

Além disso:

Quem não abre mão de conforto, mas quer ter um ambiente multifunção – estar e TV – adequado deve apostar nos modelos menos robustos, mas com boa qualidade de espuma e densidade. O objetivo é que o móvel garanta conforto nas sessões de cinema sem pesar o ambiente preparado para receber uma visita.

“Quando o cliente quer um encosto reclinável, que tem mais volume e ocupa mais espaço, opto por sofá nesse estilo, mas com braços laterais um pouco mais estreitos e tecidos mais escuros, que dão uma sensação de que são menores do que realmente são”, ensina a designer de interiores Fabiana Visacro.

Já na hora de pensar na composição, a sugestão de Laura Santos é apostar no combinado sofá + poltronas e esquecer os joguinhos de três e dois lugares. Na avaliação da profissional, a composição fica mais leve e harmoniosa. “Se o espaço permitir, podem ser de cores opostas ou de tons parecidos, mas nunca em tons fortes demais, como roxo e amarelo”, alerta. O ideal é deixar as cores vibrantes em detalhes como as almofadas.

 

Confira outras dicas para a escolha perfeita:

Escolha do sofá perfeito

FUNCIONAL
Sofá de linho cinza, cor e material do momento, tem estrutura mais encorpada, porém com braços finos; opção é ideal para salas com dupla função, de estar e TV, conforme a designer Fabiana Visacro

Escolha do sofá perfeito

INFORMAL
Almofada solta sobre estrutura construída com pallets fica informal, mas moderninha; proposta é menos confortável e, portanto, mais indicada para espaços como varanda e jardim, onde se passa menos tempo

Escolha do sofá perfeito

DESPOJADO
Modelo que vira “cama” proporciona menos conforto, ficando melhor em áreas externas, onde se passa menos tempo

Escolha do sofá perfeito

CONFORTO DE CINEMA
Sofá retrátil e volumoso é ideal para salas de televisão; seriedade pode ser quebrada com almofadas coloridas

Escolha do sofá perfeito

CLEAN
Modelo com base de madeira e assento solto é mais “duro” e, portanto, não indicado para salas de TV

Escolha do sofá perfeito
UM CLÁSSICO
Modelo também tem pé palito, mas é mais fino e delicado, ideal para áreas de estar; composição com almofadas desconectadas e manta em camurça garante charme e sofisticação

Escolha do sofá perfeito

EM ALTA
Modelo em veludo verde é retrô e sofisticado, tendência para o inverno, que começou há poucos dias. Padronagem combina com ambientes mais frios e sóbrios, como o do ambiente ao lado, que tem tons de marrom e branco, pois ajuda a “acender” a decoração

Escolha do sofá ideal

DUPLA FUNÇÃO
Sofá com capitonê, um clássico da decoração, tem cor suave e pode ser usado tanto em salas de TV quanto em ambientes de estar; pufe ajuda no apoio dos pés e aumenta o conforto na hora de assistir a um filme