As hashtags usadas com frequência em posts de cortes de cabelos curtos no Instagram, nacional e internacionalmente, não param de crescer. Até o fechamento desta edição, eram mais de 15 milhões de menções no Instagram de #shorthairdontcare (cabelo curto, não me importo, na tradução livre), #shorthair (cabelo curto, em inglês) e #cabelocurto.

Além das tags, perfis que se dedicam a postar apenas cortes curtos realizados em salões brasileiros atraem aquelas que já aderiram ou pretendem investir em um. Os perfis @meucabelocurto e @cabelocurto no Insta têm, juntos, cerca de meio milhão de seguidores.

Deles, saem muitas referências as quais as mulheres levam aos salões para inspiração. Contudo, o cabeleireiro Célio Faria, proprietário de instituto de beleza homônimo no bairro de Lourdes, região Centro-Sul de BH, chama a atenção para a necessidade da certeza sobre uma mudança radical.

“Numa alteração de imagem assim, é preciso saber a história da pessoa, o que aquilo significa para ela, qual o objetivo. A cliente tem que sair do salão muito segura, não importa o que vão falar, ela tem que ter certeza. Muitas querem um curto, mas eu vejo que não vão ‘segurar’. Por isso, converso muito, observo a cliente de frente e de costas, busco saber sobre o dia a dia dela, se só lava, se tem tempo de escovar, se vai muito ao salão, tem que avaliar tudo isso”, conta o expert. 

Perfil @meucabelocurto

Mais de 250 mil pessoas seguem o perfil @meucabelocurto no Instagram

Leia mais:

Minas Trend divulga tema 'ensolarado' para a próxima edição

O que é moda para você? Veja as respostas de quem atua no mercado em BH

Mudanças no vestir feminino caminham junto com avanço da história

Sem preocupação com o desejo masculino pelo cabelão, mulheres mandam ver nos curtinhos