Consultas, castrações, exames de rotina, atendimentos de emergência e até cirurgias de alta complexidade. Pessoas em situação de rua ou de baixa renda terão, a partir deste mês, assistência para cães e gatos, em Belo Horizonte. Sem pagar nada. Serviços que não puderem ser realizados na instituição, localizada na região Oeste da capital, serão encaminhados a clínicas parceiras. 

Os atendimentos gratuitos serão oferecidos pelo primeiro hospital veterinário público de Minas Gerais, cujas portas devem ser abertas na última semana deste mês. Pelo menos 150 pets terão assistência assegurada toda semana. Os atendimentos serão conduzidos por cerca de 50 profissionais, dentre veterinários, universitários e voluntários. Também haverá internações diurnas. 

10% dos cães brasileiros vivem em Minas, segundo levantamento do o Instituto Pet Brasil; São Paulo concentra maioria: 24,5%

Custeio

As despesas serão custeadas por meio de parcerias com empresas privadas e por doações, incluindo as de troco-solidário – modalidade utilizada em BH por instituições de saúde sem fins lucrativos. Verbas de emendas parlamentares também serão utilizadas.

“Todas as propostas estão vinculadas ao modelo de filantropia”, reforça o diretor-geral do Hospital Veterinário AMA – Amigos da Medicina Animal, Aldair Pinto, vice-presidente da Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais em Minas Gerais (Anclivepa-MG). Pelo menos oito profissionais da instituição já se voluntariaram para atender no hospital.

Hospital Veterinário Público

Clique para ampliar ou salvar

Comprovação

Para ter cachorro ou gato atendidos na clínica será necessário comprovar baixa renda por meio de inscrição em programas sociais do governo. Animais de rua sem tutores não serão atendidos, lembra o diretor do AMA, acrescentando que os serviços serão incrementados conforme demanda e adesão de voluntários.

“Fazer o bem a quem não tem privilégios é recompensador. Animais que não têm quem lute por eles podem sofrer descaso e abandono. Luto contra este cenário. Tenho orgulho de ter sonhado e idealizado” - Osvaldo Lopes, deputado estadual idealizador do hospital veterinário

Presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária em Minas Gerais (CRMV-MG), Bruno Divino ressalta que o atendimento de graça é importante para toda a sociedade. “Animal doente não é problema só para ele, pois pode transmitir doenças à população. Além disso, são importantes as castrações para o controle populacional”. 

Esterilizar um animal numa clínica particular de BH pode custar até R$ 800. Levantamento do Instituto Pet Brasil mostra que 5% dos cães e gatos do Brasil – cerca de 3,9 milhões – vivem em condição de vulnerabilidade.

Hospital Veterinário Público

Clique para ampliar ou salvar