Games que exploram as misteriosas técnicas dos ninjas ou shinobis estão no mercado há mais de 30 anos. Mas nem por isso deixam de ser instigantes. “Sekiro: Shadows Die Twice” é basicamente uma representação das atribuições e místicas em torno desses mercenários que ascenderam no século 15, no Japão feudal. 

Produzido pela From Software, a mesma produtora do sádico “Bloodbourne”, o game não tem aquele nível de dificuldade cruel que a grotesca produção do caçador de demônios tem, mas ainda assim é um game fácil de jogar.

Um detalhe fantástico do game é que apesar de ter vários idiomas para as vozes, a opção padrão é japonês, o que torna a imersão bem mais interessante. As legendas e menus são em português. Mas para quem jogou “Ninja Gaiden” no cartucho japonês (60 pinos) no Nintendinho, se as legendas fossem na escrita japonesa, estaria tudo certo também.

Mercenário
Em “Sekiro”, o jogador assume o papel de um shinobi, chamado Lobo. O guerreiro mercenário precisa resgatar uma criança, chamada de Herdeiro Divino sob custódia do clã Ashina. Na primeira tentativa de resgate, Lobo tem o braço amputado e substituído por uma prótese.

Esse braço postiço não é apenas um mero capricho estético do game, mas o subterfúgio para a inclusão de diversos mecanismos que expandem a jogabilidade. A prótese pode receber diversos acessórios, estrelas ninja e até lança-chamas. Mas a principal ferramenta é o arpão. 

Arpões se tornaram comuns nos games pois permite quem os personagens acessem locais altos ou transponham fendas. “Far Cry” e “Just Cause” bebem nessa fonte há bom tempo. Bom, não vamos questionar a confiabilidade dessa gambiarra feita com bambu, ossos e cordas. Mas é item tão fundamental quanto a espada do protagonista.

Jogabilidade
“Sekiro” é um game de aventura com elementos de RPG. O jogador pode melhorar seus equipamentos e seu inventário. O game permite explorar os cenários em busca de itens coletáveis, mas com uma certa linearidade que o mantém focado no objetivo principal. 

Gráficos
Em termos visuais, dá um show. Mas é perceptível que foi desenvolvido para Xbox One X e PS4 Pro. Os veteranos não conseguem os mesmos efeitos de HDR, o que acaba penalizando o visual. “Sekiro: Shadows Die Twice” também tem versão para PC e custa R$ 230.