A Lenovo acaba de anunciar parceria com a Ducati. Numa coletiva global que contou com o CEO da fabricante italiana de motocicletas, Claudio Domenicali, e o vice-presidente da Lenovo, Luca Rossi, as duas empresas comunicaram a parceria que vai além do nome da gigante dos computadores estampado na carenagem das máquinas da MotoGP.

Segundo os executivos da Ducati, a entrada da Lenovo permitirá acesso a servidores mais robustos e sistemas de nuvem mais seguros. Além disso, é esperado mais precisão na performance das máquinas nas pistas. 

No entanto, questionado pelo Hoje em Dia sobre qual seria o real ganho da união, além do aporte do patrocínio e a exposição de marca, Domenicali afirma que a Lenovo será uma parceira importante no desenvolvimento de tecnologias de segurança para as motocicletas de rua. 

“Temos que pensar além da MotoGP. Os veículos cada vez mais dependem de computadores. Estamos trabalhando em tecnologias de sensores de ponto cego, por exemplo, que demanda expertise em tecnologia. Mantemos a atenção com design e performance, mas estamos num momento muito excitante em que vivemos o poder da computação e digitalização. E precisamos explorar tudo isso”, comentou o chefão da italiana.

Já Rossi complementa que para a Lenovo a relação vai além do nome da marca estampado na motocicleta. “Além de uma logo em evidência, trata-se de um desafio para entregar serviços e soluções de forma vertical e horizontal. E a partir daí teremos conhecimento para desenvolver tecnologias que serão empregadas nos computadores, na linha Motorola e também em soluções 5G. Poderemos criar tecnologias, processos e serviços a partir das necessidades que surgem para o parceiro e que demandam novas soluções”, explica.

Questionado se a parceria também possibilitaria o lançamento de um notebook com a grife Ducati, Ross foi bastante realista.

“Por hora, não. Para elaborar um computador com a marca Ducati, precisaríamos de um equipamento High End, com design sofisticado, materiais de alto padrão, com performance muito elevada e uma tiragem muito pequena. Por hora não é nosso foco, mas isso não exclui a possibilidade de um novo produto”, deixa no ar.

Seria uma boa, pois comprar uma Panigale V4 S não sai por menos de R$ 130 mil. Já um notebook Ducati seria menos platônico.