Crepioca, bacalhau, kefir, guacamole e pipoca doce. Receitas com ingredientes completamente distintos entre si e que, aparentemente, não teriam nada em comum, não fosse por um detalhe. Em 2018, apareceram na lista dos mais buscados no Google, no Brasil, com a pergunta “Como fazer?”.

Bastante conhecidos, são fáceis de serem preparados na cozinha de casa, mas requerem, em alguns casos, cuidados específicos para fazer sucesso. Estrela na Semana Santa, o peixe típico de Portugal, por exemplo, deve ser bem escolhido antes de chegar à mesa.

Radicado em Belo Horizonte, o chef lusitano Cristóvão Laruça, dos restaurantes Caravela e Tasca Lusitana, explica o porquê. “No Brasil, tem-se o hábito de buscar o bacalhau branquinho, mas o pescado com cura tradicional portuguesa é amarelado, tem cor de palha. Também é importante que esteja totalmente seco, nunca úmido”, ensina.

A dessalga ou demolha, nome do processo em terras europeias, também precisa ser correta para garantir a qualidade da receita. “Quando o processo é bem feito, o pescado ganha até 30% de peso”, diz o chef, explicando que a etapa elimina o excesso de sal, mas também reidrata a carne.

No fogo, o tipo de “corte” também conta. O bolinho de bacalhau, por exemplo, é feito com o pescado desfiado, assim como o Bacalhau à Brás (veja receita no fim da matéria), comum na capital, Lisboa. Postas, por sua vez, são indicadas para preparos como Bacalhau à Lagareiro. 

Comidas mais pesquisadas no Google em 2018 bacalhau à brás

BACALHAU - Pescado de águas geladas deve ser comprado com critério para garantir receita perfeita: “precisa estar seco, nunca úmido, e com cor de palha, levemente amarelado”, ensina o chef português Cristóvão Laruça

Kefir

Oitavo no ranking dos mais buscados, o kefir – fungo que fermenta leite ou água com açúcar, produzindo uma bebida probió-tica – também deve ser cuidadosamente manipulado para cumprir a função esperada. Ao fabricá-lo em casa, fica proibido o uso de metais, na colher ou no pote, por exemplo. 

Nutricionista clínica e esportiva, Raphaella Cordeiro recomenda o consumo de 200 ml da bebida por dia. “É o suficiente para favorecer o desenvolvimento de bactérias ‘do bem’ no intestino e impedir o crescimento de patógenos. O excesso pode provocar diarreia e gases”, alerta. 

Campeã nas buscas, em quarto lugar, a crepioca, por sua vez, é um lanche sem mistérios. Chef funcional à frente do restaurante Santa Fé, em BH, Carolina Fadel justifica o sucesso. “Quando juntamos um carboidrato simples, nesse caso, a tapioca, a uma fonte de gordura boa ou proteína (ovo), diminuímos o índice glicêmico da receita”, diz. 

Comidas mais pesquisadas no Google em 2018 crepioca
CREPIOCA - Quarta na lista de “Como fazer?”, receita é feita da mistura de tapioca e ovo e vai bem com recheios salgados e doces. Preparo tem baixo índice glicêmico e, portanto, não eleva tanto o açúcar no sangue, explica a chef funcional Carolina Fadel, que comanda a cozinha do restaurante Santa Fé, na capital mineira

Base simples, fica pronta com a mistura de um ovo para duas colheres de tapioca aquecida na frigideira. O lanche pode ser incrementado com variados recheios doces ou salgados.

Quem buscou pipoca doce no Google também pode ter em casa uma receita menos calórica. A chef ensina a substituir o leite em pó, por exemplo, por uma calda de pudim, feita com açúcar de coco ao invés do cristal. “Não é refinado e, por isso, fica bem menos calórico”, diz. 

Receita de pipoca doce Carolina Fadel

PIPOCA DOCE - Receita tradicional, vendida em carrinhos estacionados nas ruas, pode ficar mais leve com substituição proposta pela chef Carolina Fadel: leite em pó por calda de açúcar de coco

Além disso:

Acompanhamento típico de pratos mexicanos, tais como nachos (tortilha de milho crocante) e tacos (massa de farinha de milho recheada), o guacamole também apareceu na lista brasileira registrada pelo Google em 2018. Proprietário do Takos Mexican Gastro Bar, na região da Savassi, em BH, Rodrigo Cioletti diz que o toque verde-amarelo da receita pode ficar a cargo do hortelã e do manjericão, substitutos perfeitos do tradicional, mas controverso, coentro. 

“Como no Brasil não é um tempero tão bem aceito, quem quiser pode trocá-lo por manjericão ou hortelã, que dão um toque bem refrescante”, ensina. Para servir quatro a cinco pessoas, as medidas certas são: um abacate de tamanho médio, um tomate sem sementes em cubos pequenos, uma cebola roxa bem picadinha, um limão espremido, pimenta e sal a gosto. Misture tudo! 

Confira o ranking da pergunta “Como fazer?”:

Como fazer slime?
Como fazer figurinhas no WhatsApp?
Como fazer gasolina?
Como fazer crepioca?
Como fazer perguntas no Instagram?
Como fazer bacalhau?
Como fazer declaração de Imposto de Renda 2018?
Como fazer kefir?
Como fazer guacamole?
10º Como fazer pipoca doce?

Comidas mais pesquisadas no Google em 2018 guacamole
GUACAMOLE - Iguaria típica do México é feita com abacate e temperos variados, incluindo pimenta; no país da América Central acompanha nachos e tacos

RECEITAS:

Bacalhau à Brás

Receita do chef Cristóvão Laruça, dos restaurantes Caravela e Tasca Lusitana

– Ingredientes:
400 gramas de bacalhau desfiado e demolhado
400 gramas de batata palha
6 ovos
200 gramas de cebola
2 dentes de alho
Azeitona portuguesa a gosto
Pimenta a gosto
Azeite a gosto
Salsa a gosto
Sal a gosto

– Modo de preparo:
Refogue a cebola e o alho no azeite até dourar. Acrescente o bacalhau e envolva cuidadosamente. Acrescente a batata palha e envolva tudo. Bata os ovos ligeiramente, tempere com sal e pimenta a gosto, acrescente ao refogado e envolva em fogo baixo até o ovo cozinhar com o calor dos alimentos, mantendo a textura cremosa. Finalize com as azeitonas e salsa e sirva na hora.

Kefir

– Ingredientes e materiais:
1/2 litro de leite (desnatado ou integral) morno
1 colher (sopa) de grãos de kefir
Pote de vidro com tampa de rosquear
Pano limpo
Elástico
Peneira de plástico

– Modo de preparo:
No pote de vidro, misture os grãos de kefir no leite morno. Tampe o recipiente com um pano limpo e um elástico, permitindo a entrada de ar e evitando, assim, que a misture azede. Guarde o pote em local escuro (fora da geladeira) por 24 horas. Passado desse tempo, abra-o e coe o leite. Remova as partículas sólidas até extrair todo o líquido. Armazene-o num pode de vidro. Se quiser um kefir com espessura semelhante à de iogurte, guarde-o por algumas horas na geladeira. Os grãos coados podem ser usados para fazer outra bebida. 
Dicas: não use utensílios metálicos (pote nem peneira), que danificam os grãos de kefir fazendo com que percam as propriedades. 

Comidas mais pesquisadas no Google em 2018 kefir

Leia mais:

Simples e extraordinário: restaurantes apostam em culinária básica e cheia de sabor

Dê uma chance aos cogumelos! Versáteis e funcionais, estão em ascensão no país

Sua majestade, o porco! 'Desprezada' por alguns, proteína suína vira estrela na alta gastronomia