Lavar as mãos, desinfectá-las com álcool em gel e redobrar os cuidados de limpeza em geral são todos passos eficientes no combate à propagação do novo coronavírus. Na última semana, um outro item básico de proteção ganhou uma elevação de status: a máscara de pano. E a peça, rapidamente, virou trend e objeto de solidariedade na indústria da moda.

Tudo começou com a indicação do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta para a adesão ao acessório, mesmo que este fosse confeccionado em casa. A utilização tomou ainda mais "corpo" na capital mineira com o decreto emitido pelo prefeito Alexandre Kalil, que tornou obrigatório o uso de máscara nos estabelecimentos comerciais.

Entre gigantes e pequenos do universo fashion, iniciativas solidárias vêm se espalhando por todo o mundo. A Louis Vuitton, uma das principais empresas da holding francesa LVMH, mobilizou o ateliê de ready-to-wear para produzir aventais para hospitais parisienses.

Louis Vuitton

Louis Vuitton criou aventais para os hospitais parisienses

Nos Estados Unidos, vale destacar o engajamento que vem tendo o designer Christian Siriano na produção de máscaras. Ele vem postando no Instagram desenhos de modelos com vestidos de gala e a peça de cobertura do rosto combinando. Ainda, produziu uma belíssima máscara com pérolas, justamente para chamar a atenção à necessidade do uso.

Brasil

Bem longe da Torre Eiffel e da Estátua da Liberdade, aqui no nosso quintal, o movimento “Um Milhão de Máscaras”, formado por um pequeno grupo de confecções mineiras, vem produzindo esses itens e doando à equipe da Polícia Militar, ao Instituto Mário Penna, à Santa Casa de Belo Horizonte, dentre outros. “Estamos mobilizando as indústrias de confecção, oficinas, facções, costureiras independentes e quem puder nos ajudar” diz Rita Engler, professora da UEMG e uma das coordenadoras do movimento. Quem quiser contribuir, pode entrar na plataforma de financiamento coletivo Evoé.

Um milhão de máscaras

Confecções mineiras participam do projeto Um Milhão de Máscaras

Além das ações solidárias ligadas à produção de máscaras, outras indústrias, como a da beleza, têm entrado no combate ao novo coronavírus. O Grupo Boticário anunciou apoio à compra de equipamentos hospitalares, comprometendo-se doar R$ 500 mil para este fim. Também, intensificou a produção e o envase de álcool em gel, álcool líquido 70% e sabonetes para doação a pessoas em vulnerabilidade social, governo e redes públicas de saúde.

Já a Natura foca os esforços na atuação na região amazônica. A empresa e também a Avon, que é do grupo, já doaram 260 mil sabonetes ao governo do Estado do Pará, onde está localizado o parque industrial da indústria cosmética. Além disso, serão contempladas mais de 5 mil famílias de 33 comunidades agroextrativistas. A empresa informou que manteve todos os contratos de fornecimento com essas comunidades.

Ajuda

Se você já não adquiriu ou confeccionou uma máscara, tem a possibilidade de criar uma. O ideal é preferir tecidos 100% algodão ou de alto percentual da fibra. Veja, abaixo, um molde para fazer a sua máscara.

Máscara molde confecção

Clique para ampliar ou salvar

Leia mais:

Faça uma máscara com máquina de costura ou agulha e linha; confira o molde

SPA em casa: rotina de beleza pode amenizar o estresse do isolamento e elevar a autoestima

Se debruce sobre os livros e as lives e fique craque em moda durante o isolamento social