O Brasil tem um déficit imenso de profissionais qualificados para atuar no setor de TI. Levantamentos apontam que o setor terá que preencher mais 400 mil vagas em 2022, mas não sabem como. Por outro lado, há um abismo social que impede que milhões de jovens se qualifiquem para o mercado. 

Para tentar gerar inclusão social e resolver a carência de mão-de-obra especializada, a Oracle (gigante da californiana da TI) criou o programa Oracle Next Education (ONE), que oferece qualificação para jovens em situação de vulnerabilidade. Gratuito, o projeto é focado para jovens que não podem custear estudos. 

Na primeira fase, iniciada no Brasil em 2019, o programa capacitou 4.500 jovens. Agora, a Oracle anunciou a expansão do programa para toda América Latina. A meta é formar 40 mil jovens em 2022, sendo 14.200 no Brasil.

De acordo com a empresa, atualmente na América Latina há 23 milhões de jovens entre 15 e 24 que não trabalham ou estudam. E a cada contrato que a empresa fecha, ela tem conseguido inserir cinco desses novos profissionais no mercado. “Nossos colaboradores de todas as áreas estão atuando como voluntários neste projeto e usamos toda a energia para gerar impacto na sociedade, pois se trata de dar oportunidades a quem quer transformar o mundo num futuro próximo e em um setor que precisa de pessoas qualificadas”, aponta o vice-presidente de marketing da Oracle América Latina, Gabriel Vallejo.

O curso é totalmente digital com programa de 425 horas, num período de seis meses. O aluno irá estudar lógica de programação, interface front end, assim como qualificação em Java Jr. Do total da carga-horária, 105 horas serão dedicadas a empreendedorismo. Segundo a Oracle, a proposta não é apenas formar um empresário, mas ensinar aos jovens como gerir a própria carreira. 

Questionado se há algum tipo de projeto para reinserir profissionais de meia-idade, que já não atendem mais às exigências do mercado, o presidente da Oracle Brasil, Alexandre Maioral, afirma que sim. “Trabalhamos com qualificação para profissionais acima de 50 anos, de forma que ele consiga agregar sua experiência. Mas nosso programa de qualificação é aberto para qualquer pessoa acima de 18 anos”, afirma.

Para participar

Qualquer um poderá se inscrever no curso em oracle.com/one. No entanto, como é voltado para jovens de baixa renda, esse perfil terá prioridade na seleção. Para participar, o interessado deve ter idade mínima de 18 anos e computador com acesso a internet. As inscrições vão até 22 de novembro.

Assim, o que a Oracle faz , assim como muitas outras empresas do setor de informática, é tomar a iniciativa de capacitar jovens para atuar em seu ramo de negócio e suprir uma demanda imensa de mão-de-obra. Em contrapartida, ela reduz barreiras de inserção de jovens carentes no mercado de TI. Uma mão lava a outra.