A dentista Bárbara Rezende Neves, de 35 anos, sempre detestou a marcha nupcial. Não à toa, decidiu jogar para escanteio a música tradicional – fundo musical para a entrada de grande parte das noivas –, e apostar numa composição que embalava os sonhos dela desde menina, um clássico do alemão Johann Pachelbel. E não foi só neste momento do casamento que ela ousou, fugindo do convencional na hora de montar a playlist do próprio sim.

Assim como uma porção de casais têm feito nos últimos tempos, Bárbara priorizou os desejos e a história dela e do noivo, o economista Leonardo Faria Lima, de 36 anos. Ao invés de simplesmente reproduzir canções convencionais, optou por privilegiar um repertório que fosse, de fato, significativo para ela e o parceiro. “Tentei sair do padrãozão. A marcha, por exemplo, nunca gostei, aquele início até me assusta um pouco. A mesma coisa com o Léo, que detesta a música”, justifica. 

Para referendar as escolhas, a dentista fez até uma “encomenda” especial ao pai. Flautista não profissional, foi ele quem executou a trilha pós-troca de alianças. “Chorei horrores”, resume, lembrando a emoção de ver o patriarca participar da cerimônia, mais do que “só” como pai.

E não para por aí. Ao contrário da valsa tradicional, escolha de muita gente, Bárbara e Léo dançaram forró. A música eleita foi Esperando na Janela, de Gilberto Gil. “Para mim, a música sempre foi uma das principais informações na hora de pensar o casamento. Cannon in D, por exemplo, que substituiu a marcha, foi uma com a qual sonhei desde sempre”, conta.

Do início ao fim

O casal de jornalistas Gabriella Puertas Amoroso Anastacio Garland, de 34 anos, e Victor de Oliveira Campos Ferreira, de 33, também saiu do óbvio do início ao fim do casamento, que aconteceu em Belo Horizonte exatamente um ano atrás. No lugar de músicos e composições “batidos”, caixas de som ecoaram escolhas originais e até inusitadas, dentre elas faixas de Secos e Molhados, Ray Charles, Rolling Stones e Novos Baianos. 

“Fizemos do nosso jeito e escolhemos tudo juntos. Não somos tradicionais, então criamos o roteiro da nossa forma. A canção com a qual entrei foi a única que já sabia desde sempre: Somewhere Over the Rainbow, a música da minha vida”, conta Gabriella, que assistiu ao filme O Mágico de Oz, para o qual a música foi concebida, mais de 20 vezes.

Bastante musicais, os noivos, fãs de Clube da Esquina, Nando Reis, Caetano Veloso, Beatles e Strokes (a “banda deles”), deixaram a mesmice de lado para construir um casamento totalmente autoral. O repertório de voz e violão, que antecedeu o DJ da festa, por exemplo, foi todo montado por eles. “Incluímos tudo o que gostamos”, diz Gabriella.

De surpresa

Recém-casada, Daniela Senna Figueiredo Barbi, de 33 anos, percorreu caminho parecido ao selecionar o repertório da união com o engenheiro Guilherme Pimentel Brunhara, de 35. Fez surpresa ao entrar na cerimônia. 

“Escolhi a música, mas não contei para ele. Quis que ficasse mais emocionante. Não era uma canção que tínhamos costume de ouvir juntos, mas sempre sonhei em entrar com ela. Até hoje o Gui comenta como a entrada ficou bonita”, relembra a servidora pública, que elegeu Here, There and Everywhere, dos Beatles, para começar o grande dia. 

Para a troca e bênção das alianças, ela optou, na semana do casamento, por Ave Maria, mas por um motivo bastante especial: relembrar a avó, que morreu em setembro do ano passado. 

“Foi uma das únicas músicas que ela me ensinou a tocar no piano e que guardei e toco até hoje. Interessante é que, no momento da bênção, assim que a música começou a tocar, caiu uma chuva muito forte, um barulho muito alto. Foi a música terminar para a chuva acabar e deixar de interferir na cerimônia. Senti a presença dela muito forte comigo”, conta, emocionada.

Música de casamento playlist do sim

DO JEITO DELES - Daniela preferiu entrar na cerimônia com uma canção dos Beatles; Guilherme fez surpresa ao trocar a música escolhida pelos dois por uma com significado especial para a noiva

Leia mais:

'Pais' e filhos: construção da relação com enteados não precisa ser bicho-papão

Dinheiro bem casado: finanças discutidas e gerenciadas sem estresse nem segredo evitam problemas

Igreja diz que escolhas devem se adequar ao ritual religioso

Embora não tenha um catálogo definido de músicas vetadas para as celebrações religiosas de casamento, a igreja católica é bem clara quanto aos critérios de escolha pelos noivos. A definição da playlist deve passar não só pelos desejos e história do casal, mas ser coerente, sobretudo, com a tradição do rito religioso. 

“Há quase uma década, a diocese tenta reaver a condução da celebração, sequestrada pelos cerimoniais. Restrição é um termo negativo, parece censura. O que há são orientações claras. Existe diálogo, possibilidades de entrosamento, mas sem que se perca a dimensão teológica da celebração”, esclarece o padre Márcio Pimentel, especialista em música ritual.

Substituto dos costumes de poligamia, o casamento surgiu nos anos 1000, após a proclamação do cristianismo como religião oficial e do batismo de reis, em 392 e 965, respectivamente

Hinário litúrgico

Membro do Secretariado Arquidiocesano de Liturgia da Arquidiocese de Belo Horizonte, à frente da Paróquia São Sebastião e São Vicente, na capital, o religioso explica que as canções mais adequadas à celebração do matrimônio estão listadas no Hinário Litúrgico, que relaciona o repertório de todos os atos comuns da igreja católica. 

Na opinião dele, a incompatibilidade de escolhas tem a ver com a falta de conexão entre os casais e a igreja. “O casamento não tem a ver apenas com a história afetiva do casal, mas com o fato de duas pessoas batizadas decidirem seguir Jesus no contexto do matrimônio. Essa é a lacuna que há. Muitos que celebram casamento não têm vínculo com a igreja, não têm vida ativa como cristãos católicos. Tem sido complicado estabelecer um diálogo”, afirma.

Customizados

Fora dos limites da igreja, por sua vez, a história é outra. Especializada em casamentos autênticos e inspiradores, como se define, a banda Off White, de BH, por exemplo, procura não só tornar reais os desejos dos casais, como imprimir originalidade em cada uma das celebrações por meio de arranjos ou sugestões customizados. 

“Buscamos fazer com que todas as cerimônias tenham a cara do casal e do clima que querem passar. Gostamos muito de transmitir nossa personalidade também com arranjos próprios, respeitando, claro, a escolha deles. Procuramos fazer com que nossa participação não seja meramente um fundo musical, mas uma trilha sonora para complementar o momento vivido ali”, detalha o músico Felipe Barros, guitarrista e vocalista do grupo. 

Playlist do sim músicas de casamento

INFLUÊNCIA - Banda Off White, de Belo Horizonte, que surgiu com o intuito de personalizar as cerimônias, percebe que trilhas de filmes e seriados têm aparecido mais nas escolhas dos casais

Além disso:

Guitarrista e vocalista da banda Off White, especializada em cerimônias de casamentos, Felipe Barros diz que, embora, a maioria dos casais que os procuram opte por montar um repertório personalizado, muitos têm apostado em canções de filmes e seriados. "A maior parte escolhe músicas que os tocam, seja em razão de ser uma trilha sonora do casal ou pelo gosto de um ou do outro. Mas uma coisa curiosa que temos percebido é que as séries e os filmes também vêm aparecendo nos casamentos", explica. 

Dentre as escolhas que já apareceram, segundo ele, estão tema de Forest Gump e de Guardiães da Galáxia, as canções de abertura dos seriados Game Of Thrones e Narcos, além de algumas de Into The Wild, que tem trilha de Eddie Vedder.

"Há um pouco de tudo, da vida do casal, como histórias, viagens, memórias, do gosto e estilo musical, das preferências de cada um. Muitas vezes, um noivo mais roqueiro entra com alguma música da banda predileta, por exemplo. Já fizemos Led Zeppelin, Metallica, Stones e outros ícones do rock. Mas, geralmente, os casais têm um estilo predominante, para o clássico ou para o moderna, mais alternativo", acrescenta Barros.

Não conhece as músicas escolhidas pelos noivos da matéria? Ouça algumas delas:

- PLAYLIST DE GABRIELA E GUILHERME - 

Here, There and Everywhere - The Beatles

My Love - Paul McCartney

Your Song - Billy Paul

- PLAYLIST DE BÁRBARA E LEONARDO - 

Canon in D - Pacchebel

Can't Help Falling in Love Whith You - Elvis Presley

Stand By Me - John Lennon

- PLAYLIST DE GABRIELLA E VICTOR -

Sangue Latino - Secos e Molhados

Somewhere Over The Rainbow - Ray Charles

You Can't Always Get What You Want - Rolling Stones