Ingrediente capaz de potencializar o sabor de qualquer prato, as ervas secas ou desidratadas são altamente saborosas ­­- até três vezes mais potentes em relação às mesmas variedades in natura, frescas.

E prepará-las, em casa mesmo, é mais fácil do que podemos imaginar. Confira dicas da chef Cidinha Lamounier, professora no curso de Gastronomia das Faculdades Promove, e da cozinheira Rita Lobo, apresentadora do Cozinha Prática, no GNT, à frente do site Panelinha, para ter variedades sempre à mão na hora de ir para a cozinha!

Cidinha Lamounier:

  • Em cima do exaustor

Coloque as ervas, limpas e bem secas, sobre um tabuleiro e acomode-o sobre o exaustor do fogão. Se o tempo estiver quente, em sete a 15 dias as ervas já estarão secas devido ao calor do equipamento

  • Num saco de papel

Guarde as ervas, limpas e sequinhas, dentro de um saco de papel, daqueles de guardar pão. Acomode o saco num ambiente limpo, longe de umidade e calor, mas aberto. Em 15 a 30 dias, já terá ervas prontas para cozinhar

Rita Lobo:

  • No micro-ondas

Depois de lavá-las e secá-las bem, distribua-as sobre duas folhas de papel-toalha dispostas num prato e cubra-as com mais papel. Leve o prato ao micro-ondas em potência máxima por 30 segundos. Dê uma olhadinha e ligue por mais 30 segundos até perceber que estão secas o suficiente. Não coloque muito tempo de uma só vez. Por causa dos tamanhos diferentes, elas podem esturricar

Dúvidas

Agora, se a sua dúvida é saber quando e com que ingredientes combinar as diferentes variedades frescas ou secas, aprenda com quem entende do assunto. A dica número um é considerar que as ervas que saem direto do pé conferem aroma aos pratos. Já as secas, que passaram por processo de desidratação, por terem o sabor potencializado, deixam os preparos ainda mais saborosos.

Leia mais:

Ervas frescas e secas saborizam sem salgar; saiba quando e como usá-las