Para a grande maioria dos seres humanos, 2020 será lembrado como um ano de desafios, mudanças, descobertas e reflexões. Tivemos que aprender a ficar em casa pelo máximo de tempo possível, usando o mesmo espaço para dormir, cozinhar, trabalhar, estudar, fazer exercícios físicos e nos divertir. A mudança comportamental imposta pelo isolamento social, em razão da pandemia de Covid-19, fez surgir uma figura que ficou conhecida nas redes sociais como “quarentener”. A palavra veio definir quem viveu a quarentena de forma intensa, buscando formas de ocupar a cabeça de maneira produtiva ou criativa, para não enlouquecer com o confinamento.

Ao invés de fotos de amigos abraçados, de pratos bacanas de restaurantes ou de viagens de férias, as redes sociais foram tomadas por imagens de pessoas mascaradas, encontros virtuais e pães caseiros (especialmente o pão de queijo de três ingredientes do chef Leo Paixão). E quem não preparou uma comidinha especial para acompanhar a live do artista favorito?

Um pouco de tudo

O DJ Gustavo Zubreu, de 44 anos, é um exemplo de quem fez um pouquinho de tudo nesta nova cultura “quarentener”. Ele e a esposa, a técnica de som Flora Guerra, de 32 anos, eram acostumados a sair de casa à noite para trabalhar e viram a rotina completamente mudada com o isolamento social.

“Assistir TV foi uma novidade. Antes, a gente só via filme. Neste ano, entramos na cilada da TV a cabo”, contou o DJ, que passou a curtir programas de carros, animais e reformas de casa, em canais pagos. Zubreu aproveitou ainda a companhia da TV nos momentos de exercícios físicos. Com a esposa, chegou a participar de uma aula on-line realizada pelo Grupo Corpo.

Aprendizado

A pandemia de Covid-19 impactou nossa sociedade em todos os ângulos: econômicos, sociais, culturais, psicológicos. Para o psiquiatra Renato Ferreira Araújo, o legado que isso traz para o ser humano é uma reflexão sobre individualidade e coletividade.

“Tivemos a necessidade de repensar a vida, de maneira geral, e buscar o equilíbrio com nós mesmos e com a sociedade. Aprendemos a importância do cuidado conosco e com o outro. O uso da máscara é um exemplo disso. Uso para me proteger e para proteger o outro”, diz o médico.

E essa reflexão não se acaba em 2020 para os brasileiros, especialmente porque entramos em 2021 tendo de lidar com um novo crescimento de casos de infectados. “A doença está descontrolada em nosso país e isso reflete a nossa sociedade, que é pouco madura. Tem muita gente que pensa ‘a doença não vai pegar em mim’, sem avaliar por um ponto de vista mais maduro da situação, sem pensar nas consequências”, afirma.

Você também fez um pouco de tudo em 2020?

O ano que se passou foi de completa transformações e novas experiências. Você sabe se passou por todas as situações vivenciadas pelos "quarenteners"? Confira neste Quiz que preparamos para vocês. 

Loading...