Sony lança “Uncharted: Legacy of Thieves Collection”, para PS5 para abrir caminho para filme

Marcelo Jabulas
@mjabulas
29/01/2022 às 07:15.
Atualizado em 30/01/2022 às 01:07
 (Sony/Divulgação)

(Sony/Divulgação)

Já dizia Camões: “Requentar é preciso… viver não é preciso”. Mentira, o mestre lusitano nunca escreveu isso, mas é trata-se de um cláusula pétrea do mercado de games. A Sony acaba de publicar “Uncharted: Legacy of Thieves Collection”, um compilado que traz “Uncharted 4: The End of Thieves” e o spin-off “Lost Legacy”.

Os dois games fazem parte da leva lançada para a geração PS4. A trilogia original foi publicada para o PS3 e também foi “requentada” para o PlayStation 4, na coletânea “Uncharted: The Nathan Drake Collection”.

A chegada do game faz parte da estratégia de lançamento do longa-metragem “Uncharted: Fora do Mapa”, com Tom Rolland no papel e Drake e Mark Wahlberg, como seu mentor Victor “Sully” Sullivan. O filme chega em 17 de fevereiro e nada como relançar um pacote para ajudar no faturamento. 

Com preço sugerido de R$ 250, o pacote tem valor honesto. Isso porque quando “Uncharted 4” foi lançado em 2016, a cópia custava R$ 200, enquanto “Lost Legacy”, que chegou em 2017, custava R$ 150. Sendo assim, 125 pratas por cada jogo é até um bom preço, principalmente nos dias de hoje que um lançamento não sai por menos de R$ 300.

Os games

“Uncharted 4” foi o episódio que finalizou a saga de Nathan Drake. Nesse game, o caçador de tesouros se une a seu irmão Sam num rastro que finalmente pode levar ao grande tesouro do pirata Henry Avery. O bandido inglês é real e fez fortuna do século XVII. No game, Sam e Nathan iniciam as busca por uma ilha onde seria a casa da moeda da pirataria.

E como todo episódio da série, conta com uma disputa. Nesse game, os irmãos se envolvem com um milionário, que tem ao seu lado a mercenária Nadine Ross. Ross comanda uma empresa de segurança armada que não vai dar moleza para os irmãos.

Com ótimos gráficos, “Uncharted 4” segue o padrão de jogabilidade que fez da série um grande sucesso da linha PlayStation. O gameplay alterna fases de combate corporal, tiroteio, escaladas, além de perseguições e incontáveis charadas. São nuances aplicadas de forma impecável, que torna o game dinâmico, sem ficar preso num só estilo de jogo.

A qualidade visual trouxe todo refinamento técnico propiciado pelo PS4. Nathan quando se molha ou se embrenha na lama fica todo sujo. Marcas de pegadas são mantidas na cena. São caprichos que no calor do momento podem passar despercebidos, mas que valorizam a produção.

O game ainda conta com belos cenários por diversos pontos do mundo. Escócia, Sudeste Asiático, Caribe, o que não faltam são belas locações para Nathan usar seu gancho, um recurso que foi adotado exclusivamente para este episódio.

As meninas

Já “Uncharted: Lost Legacy” tira Drake de cena para dar o protagonismo a duas coadjuvantes. Nadine Ross, a mercenária de “Uncharted 4” e Chloe Frazer. Nadine era uma das inimigas de Nathan, enquanto Frazer é uma parceira de aventuras. Ela aparece como personagem cooperativa em “Uncharted 2: Among the Thieves” e “Uncharted 3: Drake’s Deception”. 

Neste game, as protagonistas se enfronham numa missão na Índia. Elas precisam obter um artefato sagrado chamado A Presa de Ganesha. Elas precisam encontrar o artefato antes que um contrabandista de armas coloque suas mãos no tesouro. 

O título segue o mesmo padrão visual de “Uncharted 4” e também recorre ao mesmo padrão de jogabilidade. A grande diferença é que boa parte da trama se passa num único mapa, que funciona como um grande mundo aberto. O game é menos linear que as demais edições. 

Chloe e Nadine devem desvendar diferentes mistérios que levam a à entrada de um templo sagrado. O game também adiciona outros personagens da franquia, mas seria dar muito spoiler, pois esse personagem só aparece depois de a campanha avançar bastante.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por