SÃO PAULO - O futuro que está sendo desenhado em nosso dia a dia, com os desafios de processar milhares de informações a cada 24 horas, as iniciativas de realidade aumentada, dentre outras mudanças, será discutido no "Projeto Estufa", parte da 48ª edição do São Paulo Fashion Week (SPFW). Uma intensa programação de palestras e oficinas acontece durante a maior semana de moda da América Latina, que começou nessa segunda (14) e vai até sexta-feira (18).

"Antes, tínhamos menos informação para criticar, menos objetos para processar. Hoje, fisicamente, é quase impossível pensar criticamente com tanto conteúdo disponível", observou Roberto Martini, CEO da FLAGCX, rede de empresas criativas com sedes no Brasil e Estados Unidos. Ele é o idealizador da exposição “Humanx - Todas as Perspectivas são Realidades Alternativas” que acontece durante o SPFW.

O executivo foi um dos especialistas que conduziram a masterclass inaugural desta terceira edição do projeto. A aula contou com a presença Paulo Borges, diretor criativo do evento, e foi realizada no Farol Santander, edifício histórico localizado no Centro da capital paulista.

Vivemos um período de transição em que a velocidade da informação é avassaladora e disruptiva. Não há tempo para esperar pelo futuro, ele acontece, com toda sua multiplicidade, nesse instante
Graça Cabral
Curadora do Projeto Estufa

“A ideia é sempre trazer discussões que são para além da moda. Entendendo moda como um processo de transformação, de criação. Falamos aqui de coisas antes de elas acontecerem, como a economia criativa e a sustentabilidade, que praticamos desde 2006. A SPFW continua sendo a única semana de moda no mundo que faz compensação de emissão de carbono, por exemplo”, relatou Paulo Borges.

Mercado

Patrocinador do evento de moda há três edições, o banco Santander abrigou, também no prédio centenário, a abertura do evento, com desfile da Ellus no domingo (13) à noite. A grife homenageou nomes expoentes do esporte, das artes, da música e da luta ambiental, trazendo para a passarela produções com pegada utilitária e bem urbana. Veja galeria de imagens abaixo.

De acordo com a vice-presidente executiva de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander Brasil, Patricia Audi, o banco abraçou o evento pois acredita no empreendedorismo e na economia criativa como negócio. “Esse mercado gera 50 milhões de dólares, temos mais de 250 mil clientes entre pequenas e médias empresas ligadas à moda. Não tem como não estimularmos isso”.

A partir desta terça-feira (15), vinte e cinco desfiles irão rechear o SPFW, que acontece no Parque do Ibirapuera.

(*) Viajou a convite do evento