No universo literário, a expressão lombada corresponde ao revestimento lateral que une capa e contracapa de um livro. Quanto maior o livro, mais espessa será a lombada. Nos últimos anos os notebooks foram afinando. Se há 30 anos os poucos modelos do mercado tinham a grossura de um catálogo, hoje há modelos que cabem literalmente num envelope pardo. São os ultrabooks. 

A nomenclatura foi criada pela Intel em 2011 e consiste em modelos topo de linha que oferecem performance, mas com espessura mínima, baixo peso e longa duração de bateria, que seguia o conceito do Apple MacBook Air, de 2008. E o Samsumg Book S segue esse conceito.

O portátil da marca sul-coreana se posiciona no topo de sua gama de notebooks, uma vez que a linha gamer Odyssey está fora de catálogo. Com preço sugerido de R$ 6.750 (à vista), esse computador é indicado para quem está sempre em trânsito, mas não quer carregar um volume da Barsa numa mochila.

Fininho e com tela de 13,3 polegadas, ele se acomoda de forma discreta numa maleta. Com chassi em metal, ele também é resistente à torção e extremamente leve. Seu carregador também é compacto, semelhante ao de um celular e utiliza conexão USB-C. Ou seja dá para levar na bolsa numa boa, sem espremer a necessaire.

Hardware

No entanto, além de ser fácil de carregar, o grande barato dessa máquina está em seu hardware. O Book S conta com processador Intel i5, 8GB de RAM e opções de armazenamento de 256GB ou 512GB em unidades SSD.

Para quem utiliza smartphones Galaxy é possível estabelecer conexão entre os aparelhos, o que permite acessar arquivos do telefone, assim como ativar tarefas do celular, como agenda. Mais ou menos o que a Apple já oferece para iPhone e Mac. 

Na prática

Em uso, o Book S se mostra prático não apenas para quem vive em salas de reuniões, mas também no uso doméstico. Leve, dá para utilizá-lo em qualquer lugar da casa. Ele cabe em qualquer cantinho. Seja para acompanhar um tutorial de receita na cozinha, ou participar de conferência na varanda. E se o amigo estiver pensando em possibilidades mais inusitadas: sim, é possível!

Por ser uma máquina compacta, a digitação carece de treinamento. Principalmente quando se está habituado com um notebook maior ou com teclado de desktop. As teclas são grandes, mas volta e meia os dedos tropeçam. Mesmo assim, é mais confortável e prático que do irmão X45, que apesar de bem maior é mais confuso.

Há pouco falamos do carregamento em porta USB-C. O Book S conta com duas portas e vem com um adaptador para conectar dispositivos com porta padrão, como mouse, HD externo, teclado, joystick ou pen drive. 

Esse acessório é fundamental nos dias de hoje. Mesmo que muitos dispositivos já sejam ofertados com USB-C, ainda vai demorar para o novo formato se tornar padrão no mercado. No varejo, o preço médio pela adaptador gira em torno de R$ 80. Então, é bom cuidar com carinho. Ele ainda conta com um discreto adaptador para cartão Micro SD.

Por outro lado, não oferece porta Ethernet para conexão cabeada (que praticamente ninguém usa). Mas resolve o problema com Wi-Fi de alta velocidade. 

Performance

A combinação do i5 com os 8GB de RAM e SSD fazem desta máquina extremamente rápida e estável. Ele roda aplicações básicas com muita rapidez e permite trabalhar em softwares de edição com boa desenvoltura. 

Ele também dá conta de rodar games, mesmo que sua tela não ofereça a opulência de um monitor gamer. Claro que por falta de uma GPU dedicada, a qualidade gráfica é comprometida. Além disso, um game pesado também comprometerá a autonomia da bateria. Assim, se der aquela vontade de brincar com um joguinho, opte por opções mais modestas.

Para o uso trivial, como produção de textos, planilhas e navegação web, a carga da bateria durou mais de sete horas, em nosso teste. No entanto, a Samsung promete até 17 horas de reprodução de vídeo. Pena que nunca temos todo esse tempo de sobra.

Palavra final

O Book S é um notebook que atende muito bem aquele profissional que não para em sua mesa. Rápido e com alta performance permite executar tarefas robustas em qualquer cantinho sem sacrificar o ombro ou vestuário.

Trata-se de um aparelho bem mais caro que um modelo de mesma configuração, mas com medidas maiores. Mas para quem vive em ponte-aérea ou desembolando o trabalho no Uber, não há ferramenta mais prática.