Cinco milhões e duzentas mil menções em hashtags só no Instagram até 20 de agosto. Picos de busca na última semana de julho e em todas deste mês. Milhares de postagens no Pinterest. Os números comprovam a fama astronômica do tie-dye, técnica de tingimento milenar reconhecida pela massiva presença nos anos 60 e 70 e ligada ao movimento hippie.

“Desde que o tingimento entrou na moda, há várias décadas, o brasileiro se identificou com ele, porque somos coloridos e também artesanais. Nos anos 80, usamos o processo na lavanderia do jeans e, na década de 1990, na moda chamada ‘hippie chic’. Esquecido das massas nos anos 2000 e 2010, agora retorna, justamente por conta deste momento slow, faça você mesmo e de economia em baixa, como uma forma de modificar as peças do guarda-roupa”, explica o trend hunter e CEO do Movimento Moda Contemporânea Mineira, Aldo Clécius.

“Mesmo que a moda transforme o tingimento em ‘commodity’, a trend ressurgiu com jovens querendo fazer as próprias estampas em casa”
Aldo Clécius
Trend hunter

E, em terras tupiniquins, a “febre” é ainda maior do que a internacional. Em marcas estrangeiras, como Louis Vuitton, Versace e as esportivas Nike e Adidas, é possível encontrar peças nas coleções, assim como em nacionais como a de calçados Viamarte e a mineira Skazi. No entanto, é nos perfis brasileiros das redes sociais que a festa acontece.

Vídeos e imagens com tutoriais de como fazer tie-dye em casa se multiplicam em velocidade surpreendente, incluindo erros, acertos, técnicas e todo tipo de desenho

Veja diversos tipos de amarração, com os resultados esperados ao lado, para se divertir em casa:

Tie-Dye Amarrações

Veja algumas das várias possibilidades de amarração para fazer tie-dye em casa

De acordo com o Pinterest, além de camisetas, tops e moletons (peças mais conhecidas para a aplicação do tingimento), os usuários também buscam novos itens para tingir. A rede social registrou pesquisas crescentes de ''biquíni tie-dye', que aumentaram oito vezes, e ''toalhas tie-dye'', com crescimento de seis vezes.

Leia mais sobre moda nestes links:

Como será a moda no pós-pandemia? Veja as previsões no Hoje em Dia AO VIVO

Em tempos de crise, consumo de cosméticos está aliado à busca por bem-estar físico e mental

Do it yourself

As técnicas já estão tão diversas e espalhadas que é fácil encontrar a aplicação em unhas, maquiagem e até na decoração. Uma prova de que o “do it yourself” (faça você mesmo, na tradução para o português) ganhou ainda mais espaço durante a pandemia.

“O tie-dye, em si, vai passar, mas o grande legado será o do “do it yourself”. Ele, na verdade, é a ponta de um iceberg, que, em longo prazo, mudará o comportamento social diante do consumo: cada vez mais as gerações novas querem fazer as próprias roupas, estão interessadas em corantes e tingimentos naturais, ou pelo menos desejam utilizar técnicas de upcycling e modificação para durarem mais”, observa Aldo Clécius, que complementa dizendo que o pós-vacina definirá os rumos da trend, embora ela já esteja bem desenhada com diversos sinais sociais.

Fazendo as tintas

Tie-dye

 

Usando tinta para tecido

- Adicione uma xícara de água em uma garrafinha spray com tamanho suficiente para comportar a água e a tinta para tecido
- Acrescente a tinta para tecido na cor que quiser. Você precisará de três colheres de sopa
- Use menos tinta se quiser tons pastel. Uma ou duas colheres de sopa são suficientes para esse resultado
- Balance a garrafinha por um minuto, para misturar bem a tinta e a água, até ficar um líquido homogêneo

Utilizando água química e tingimento

- Use luvas grossas de jardinagem e um óculos de proteção resistente, para evitar problemas. Se possível, use roupas com mangas longas
- Você precisará de água, ureia e amaciador de água, produtos encontrados em lojas especializadas em tie-dye ou de materiais de construção
- Adicione um litro de água em um balde. Em seguida, acrescente ¾ de xícara de ureia e uma colher de chá de amaciador de água
- Caso precise de mais tingimento, aumente a quantidade dos ingredientes proporcionalmente
- Adicione os tingimentos
- Retire a água química do balde e separe-a em garrafas ou copinhos. Em seguida, acrescente as cores escolhidas em cada um dos recipientes
- Não há uma quantidade específica de tingimento, pois tudo depende da cor desejada. Quanto mais tingimento, mais vibrantes serão as cores

Utilizando corante alimentício

- Coloque um avental, pois, trabalhar com corantes alimentícios faz bastante sujeira. Se preferir, vista algumas roupas antigas que possam ser manchadas
- Encha uma garrafa com água e corante alimentício. Escolha uma garrafa com tampa para evitar respingos
- Acrescente meia xícara de água e oito gotas do corante alimentício da cor desejada. Se quer um tom mais claro, use menos corante. Para fazer tons pastel, por exemplo, use apenas quatro gotas
- Balance bem a garrafa, até que os líquidos se misturem e fiquem com um tom homogêneo

Clique na galeria de imagens e salve o conteúdo para reproduzir!