Foi-se o tempo em que a caipirinha e as variações dela reinavam absolutas entre quem gosta de drinks. Vedete nos últimos tempos, a gim tônica, que voltou repaginada, trouxe consigo uma legião de coquetéis: diferentões, exóticos, autorais, atualizações de clássicos... Seja qual for o ponto de partida, em bares e restaurantes de Belo Horizonte não faltam opções com frutas, legumes e até cogumelo.

Mixologista premiado, o mineiro Filipe Brasil elegeu um ingrediente comum para a nova carta de drinks do Olga Nur, em Lourdes (Zona Sul): a criatividade. Na sessão Twists Modernos (releituras), tem receitas com infusão de café, xarope de ora-pro-nóbis, licor de pequi, tomate grelhado e, pasme, manteiga trufada. 

Experiente, ele garante que qualquer combinação é possível, desde que seja harmônica. Algumas dicas, no entanto, devem ser consideradas para garantir o sabor perfeito. “Lactose misturada com álcool não é uma boa. Com fruta cítrica também pode ser perigoso”, exemplifica o profissional.

Drinks exóticos diferentes

CORN WHITE RUSSIAN - Releitura de um clássico, drink do Olga tem vodca, licor de café, suco de milho e espiga caramelizada

Prova de que tudo é possível são misturas impensadas para muita gente. Já imaginou um gim com licor de pequi e clara de ovo? Comum nos sours (drinks com destilado, suco de limão e açúcar), a proteína animal dá cremosidade ao Pequi Gim Fizz. No Old Fashioned, a festa na boca fica por conta do sabor defumado da manteiga trufada, que acompanha uísque e óleo essencial de laranja. 

Leia mais:

Curingas da harmonização: espumantes são leves, frescos e combinam com tudo

Chá na balada: muito consumida pelos orientais, bebida virou estrela em coquetéis alcoólicos

Do bule ao prato: queridinho dos brasileiros, café é 'tempero' de pratos doces e salgados

Tendência

Proprietário da casa, Matheus Mourthé diz que os coquetéis seguem tendência ao privilegiar matérias-primas regionais. “É difícil conseguir um produto fresco vindo do Norte do Brasil. É uma questão meio lógica priorizar o que temos aqui, está disponível e tem qualidade”, explica. Ao todo, são 23 drinks no cardápio novo, incluindo tradicionais, releituras e homenagens a bartenders consagrados. 

Localizado no bairro Cruzeiro, o Kanpai também impressiona além dos cortes perfeitos da culinária japonesa. Responsável pelos drinks do restaurante, o mixologista Tiago Santos surpreende com misturas gustativa e esteticamente perfeitas. Como no Season Garden, que tem gim, xarope de rosas e hibisco, e no Kanpai Goose, que leva rum de tangerina, maracujá e espuma de limão siciliano. Para arrematar, a bebida é servida numa gaiolinha com fumaça, ingrediente responsável por dar um toque defumado ao coquetel.

“Muitas vezes, são elementos contrastantes, mas que funcionam juntos. Como o próprio café com leite, uma mistura exótica e que deu certo. Pra mim, tudo pode ser misturado desde que se tenha noção de dosagem e do sabor que deve prevalecer”, afirma Tiago, que destaca com uma das combinações certeiras uísque com mate. 

Drinks exóticos

KANPAI GOOSE - Drink do Kanpai, em BH, criação do mixologista Tiago Santos, é servido numa gaiolinha com fumaça

​Apresentação divertida para surpreender os clientes

Ele nasceu com o propósito de gourmetizar petiscos tradicionais em Minas, mas acabou ganhando fama mesmo pelo modo divertido e inusitado com que serve os drinks – muitos deles sugestões dos próprios clientes. Se for ao Amadís, tire de cabeça a ideia de beber num copo ou taça convencional. No estabelecimento, na região da Pampulha, mais até do que as receitas, são os recipientes motivo de surpresa. 

Embalagens garimpadas

Proprietário da casa, Renato Godinho tem certa obsessão por garimpar embalagens diferentes e que possam servir de copo para as misturas criadas por ele em parceria com a gerente, Júlia, e o barman, Gil. “Procuro em todo lugar, viagens, loja de embalagens e até em casa de festa”, diz.

Drinks exóticos diferentes

MALANDRO É O PATO - Estabelecimento no bairro Ouro Preto, Amadís, junto a fome com a vontade de comer, ou melhor, o nome do drink à apresentação ao cliente

Na cozinha do bar, que funciona também como restaurante, nascem combinações perfeitas entre o que vai dentro e o que o cliente verá, por fora. Imagine o Malandro é o Pato. Não bastasse o nome, alusão a um conhecido ditado popular, o drink, que leva gim, tangerina e limão, é servido numa banheirinha de acrílico. 

Outro que casou a fome com a vontade de comer, ou melhor, o nome com a embalagem, foi o Gim de Botas – que chega ao cliente num par do calçado. De mentirinha, claro! Ao todo, são oito opções, dentre novidades inspiradas em assuntos do momento. No início do ano, por exemplo, o estabelecimento estreou com Piscininha, Amor, música que surgiu com o meme do jogador Egídio. 

Confira galeria com fotos de outros drinks servidos no Olga Nur e no Amadís, em BH: