Pode até parecer impossível cultivar um cantinho verde dentro de um apartamento, sobretudo se nele estiverem verduras, ervas e temperos. Mas montar uma horta caseira é mais fácil do que imaginamos. Sol farto, luminosidade, água na medida certa e atenção ao desenvolvimento das plantas são meio caminho andando para garantir um espaço bonito, cheio de sabor e que ajuda até a economizar nas compras do mês.

Cuidado número um antes de colocar a mão na terra é ter certeza de que o local onde as espécies serão acomodadas receberá sol por pelo menos meio período do dia. É o calor que irá preservar a saúde delas.

“Com menos de quatro horas de sol por dia elas até conseguem sobreviver, mas ficam suscetíveis a pragas e doenças”, justifica a farmacêutica, paisagista e especialista em plantas medicinais Ana Cimbleris.

Água

Assim como a luz natural, a água é outro elemento fundamental e que deve ser observado por quem deseja ter ervas frescas sempre à mão. Quem gosta de praticidade ou não tem muito tempo pode optar por vasinhos autoirrigáveis. Os recipientes transportam água diretamente até a raiz, garantindo que absorva somente a quantidade necessária do recurso. 

Um bom método para saber se é hora de molhar de novo é observar o aspecto das folhas e do solo: murchas, “caidinhas”, e com a terra bastante seca. 

Encharcá-las, por sua vez, pode ser tão ou mais nocivo quanto descuidar da rega. Conhecer as variedades (leia mais na ilustração no fim da matéria) garante combinações perfeitas. “É mais fácil administrar vasos com plantas de mesmo hábito. Alecrim, tomilho, orégano, manjerona e sálvia precisam de menos água, enquanto manjericão e hortelã gostam de irrigação diária”, ensina Ana Cimbleris. 

Nas jardineiras horizontais, ideais para parapeitos de janela, a sugestão é setorizar. Escolha um pedaço de terra para plantar espécies que exigem rega frequente e outro para as que gostam de solo mais seco e que irão se beneficiar do excesso de água das outras. “Aumenta a durabilidade dos vasos, garantindo planta o ano todo”, frisa a especialista. 

Horta em apartamento

COLHEITA - Podas devem ser feitas com uma tesoura adequada, bem afiada, para não “picotar” a planta; ideal é observar a necessidade de cada espécie, mas realizar cortes periódicos, de limpeza, como são chamados, para garantir espaço e luz a todas as folhas 

Na vertical

Proprietária do atelier de plantas, decoração e design Verde-si, no bairro Belvedere, Zona Sul da capital, Maria Tereza Bittar Nolli reforça que cultivar uma horta em apartamento sem varanda ou área privativa é totalmente viável. Ela ensina a aproveitar as paredes com recipientes verticais. 

Outra orientação da profissional, principalmente no inverno, é comprar mudas já desenvolvidas, ao invés de sementes, já que a baixa incidência de luz solar pode ser prejudicial ao desenvolvimento pleno.

“BH não é conhecida por invernos rigorosos, com geadas, mas vale se ater a três cuidados essenciais: claridade, adubação e rega”, reforça. 
Embora Maria Tereza não recomende um tipo de material específico para cultivar as espécies dentro de casa, ressalta que a adubação deve ser feita pelo menos uma vez por mês. 

“Não importa se o plantio será em vasos de cerâmica, em garrafas PET, caixas de madeira ou mesmo em jardineiras. O material não interfere. Mas lembre-se de fazer furos no fundo do vaso para evitar o excesso de água no solo e o apodrecimento das raízes”, completa.

Horta em apartamento

AMIGAS OU INIMIGAS - Conhecer os hábitos das espécies permite escolher tipos adequados para serem cultivados num mesmo recipiente ou plantados separados

Leia mais:

Ambiente mais verde: plantas embelezam e dão harmonia à casa; aprenda a escolhê-las!

Sinta-se em casa: mudanças no ambiente de trabalho aumentam bem-estar e produtividade

Horta em apartamento

Clique para ampliar ou salvar a imagem

Podas adequadas garantem temperos frescos o ano todo

Quem escolheu manter um jardim comestível dentro de casa pode se beneficiar da opção inclusive para produzir as próprias mudas e tornar-se autossustentável. Ficar de olho no desenvolvimento e crescimento das espécies e fazer podas frequentes e adequadas garante variedades frescas o ano todo. 

A principal providência é não se descuidar. Cultivadas juntas, espécies mais altas e que fazem sombra, como o manjericão, devem ser mantidas em dia para não prejudicar o crescimento de outras. Podas de limpeza – como são chamadas – asseguram boa saúde e afastam pragas. Use as mãos ou tesoura afiada.

Pontos de brotação

Na hora de produzir mudas novas, a recomendação é ficar de olho nos pontos de brotação, nós ou gemas (interseção presente no caule). É exatamente nestes locais que a planta deve ser cortada para um replantio adequado, que renderá frutos. Especialista no assunto, a paisagista Ana Cimbleris explica melhor.

“É a partir dos pontos de brotação que a planta produz as raízes e novos ramos e folhas. É preciso ter pelo menos um nó abaixo da terra e outro acima. Enquanto o ramo não produz novos brotos, mantenha o solo úmido para garantir que as raízes ‘peguem’”, detalha.

A boa nutrição das plantas também tem papel fundamental na saúde de verduras, ervas e temperos, assim como a manutenção da umidade adequada. Solo e plantas muito encharcadas acabam atraindo pragas, transformando-se em portas de entrada para fungos e bactérias. Uma vez identificado o problema, elimine o causador e jamais aproveite a planta afetada para fazer mudas ou composteiras (reciclagem de resíduos orgânicos). 

Contra pragas

Bastante comuns nos jardins, pulgões e colchonilhas devem ser removidos por completo para não interferir na saúde do verde. Soluções caseiras ajudam a combatê-los, ensina Ana. “Deve-se aplicar com borrifador a mistura de 1 colher de sopa de detergente líquido neutro em 1 litro de água na área infestada da planta, tendo cuidado para chegar também à face inferior das folhas”.

Alternativas igualmente eficazes, baratas e que podem ser preparadas em casa envolvem fumo de rolo e alho, ambos misturados em solução com água.

Horta em apartamento

ADEQUAÇÃO - Quem tem pouca luz em casa pode apostar em suporte móveis para levá-las de um lado para outro

Confira as receitas abaixo:

Calda de fumo de rolo

Misture 800 ml de álcool e 100 gramas de fumo de rolo picado em uma garrafa plástica de um litro e meio. Deixe descansar por 24 horas. Depois deste tempo, acrescente 1 copo de água, feche e agite. Deixe em local escuro por 3 dias. Coe a solução em pano fino, espremendo bem o fumo. Guarde o líquido coado em uma garrafa de vidro ou plástico escuro bem fechada. Pulverize a medida - 1 copo de calda misturados em 1 litro de espalhante de sabão* sobre as plantas.

Espalhante de sabão

Este ingrediente será usado no preparo de inseticidas naturais caseiros. Para prepará-lo será necessário ralar 50 gramas de sabão de coco, colocar em um litro de água quente e misturar até dissolver completamente. Depois de pronto, misture em 4 litros de água fria e guarde em recipiente de plástico.