O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, falou sobre a construção do novo estádio atleticano. Em pronunciamento realizado no Salão Nobre da Prefeitura, nesta terça-feira (21), Kalil destacou que a PBH colocou 46 condições para a realização das obras da Arena MRV, mas deixou claro que, neste primeiro momento, o andamento da construção depende do Ministério Público, que entrou com processo no Tribunal de Justiça de Minas Gerais pedindo a suspensão da Licenção Prévia (LP) no Conselho de Meio Ambiente da capital. Esta é a primeira de três etapas para começar as obras depois da aprovação da licença de operação ambiental.

"Na minha opinião como Prefeito, o projeto é bom. Mas, se o Ministério Público pedir a interdição da obra, e a Justiça mandar parar, vamos parar o licenciamento. Ninguém vai fazer nada de errado nem para Atlético, América e Cruzeiro nem pensar, né? ", destacou Alexandre Kalil. .

Por enquanto, com a deliberação do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam), só é possível cercar e continuar os estudos no terreno localizado no bairro Califórnia, região Noroeste da capital. 

O Secretário Municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck, endoçou o discurso do prefeito. "Caso nenhuma atividade de nível processual venha a acontecer, e não acredito que vá acontecer, teremos a Licença de Instalação liberada entre setembro e outubro", ressaltou Mário Werneck. 

Incialmente, o começo das obras estava previsto para agosto de 2018. Mas, com os entraves relativos às lincenças ambientais, a data de iníicio da construção foi adiada em três oportunidades.