João Vítor Xavier

Com o apoio de cinco outros partidos, Cidadania lançou João Vítor Xavier à PBH em evento no Mercado Central

No último dia do prazo da legislação eleitoral para a realização de convenções partidárias, quatro legendas confirmaram suas candidaturas à Prefeitura de Belo Horizonte no pleito de 15 de novembro. Com isso, o total de candidatos chegou a 17 - recorde na história da disputa pelo comando da cidade.

No Mercado Central, o Cidadania homologou a candidatura do jornalista e radialista João Vítor Xavier. Ele terá como vice o empresário Leonardo Bortoletto, do Democratas. Também apoiam a chapa o PTB, o PL, o PSB (o deputado federal Júlio Delgado abriu mão de sua candidatura), o PMN e o PSL. Em seu discurso, ele firmou compromisso com uma cidade aberta ao diálogo e, numa referência ao prefeito Alexandre Kalil (PSD), lembrou de eleições passadas em que nomes favoritos acabaram surpreendidos.

O PSDB oficializou a ex-secretária-adjunta de Planejamento e Gestão do Governo de Minas, Luísa Barreto. Ela terá, como vice na chapa, Juvenal Araújo, que foi secretário Nacional de Promoção da Igualdade Racial e ministro interino dos Direitos Humanos. No evento, a candidata afirmou que a atual gestão criou a imagem de que a cidade não precisa de mais obras ou melhorias nos serviços prestados. "Temos de mudar essa lógica que só prejudica a cidade. Belo Horizonte, hoje, é uma cidade abandonada. Mas a cidade é uma criatura viva que precisa crescer e se desenvolver”, afirmou.

Luísa Barreto

Luísa Barreto e Juvenal Araújo concorrerão pelo PSDB

O PCdoB também apostará numa chapa puro-sangue. Ex-secretário-executivo do Ministério do Esporte, Wadson Ribeiro terá como candidada a vice Kátia Vergílio. O partido volta a concorrer à PBH depois de 12 anos.

Já o Partido da Mulher Brasileira (PMB) confirmou o nome do Cabo Washington Xavier. Candidato a deputado federal em 2018, ele tentou criar a própria legenda (o Partido da Defesa Social) mas, diante do insucesso na iniciativa, encontrou abrigo na legenda que, em tese, deveria favorecer a participação feminina nas eleições.