De cada dez jovens brasileiros, quatro dispensam o uso da camisinha quando estão em relacionamentos estáveis. O dado é da pesquisa "Juventude, Comportamento e DST/Aids" feita pela Caixa Seguros em parceria com o Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

O levantamento também mostra que três em cada 10 desconfiariam da fidelidade do parceiro caso recebessem proposta de uso de preservativo.

O estudo entrevistou 1.208 pessoas entre 18 e 29 anos, em 15 estados. Desse total, 91% responderam que já tiveram relação sexual; 36% não usaram camisinha na ultima vez em que fizeram sexo.

Além disso, 40% não confiam no preservativo como método eficaz de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST) ou gravidez e apenas 9,4% fizeram consultas médicas sobre o tema nos últimos 12 meses.

Desinformação

A pesquisa também mostrou que um em cada cinco jovens acredita que pode contrair HIV se utilizar copos ou talheres de outras pessoas. Entre os entrevistados, 15% classificam a malária, a dengue, a hanseníase ou a tuberculose como tipos de DST.

Cenário

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país tem hoje entre 490 e 530 mil pessoas com HIV. Desses, cerca de 135 mil não sabem que estão contaminadas.

Do total de aidéticos no Brasil, 40% são jovens entre 15 e 29 anos.