O dilema ter filhos e ter uma carreira que caminhe lado a lado com a felicidade é comum a mães e pais com filhos da geração Y ( nascidos após 1980 até meados dos anos 90) e da Z (nascidos a partir da década de 90).  Mas quando se fala em trocar de carreira diante da responsabilidade com os pequenos, a situação fica ainda mais complicada. 

Muitas pessoas desistem de mudar, ficam "presas” ao salário, benefícios e estabilidade que uma empresa pode dar, mas não se realizam profissionalmente. Para essas pessoas, a CEO da Minds Idiomas, Leiza Oliveira, elaborou 7 passos para despertar a coragem de mudar. Leiza é dona de mais de 70 escolas, tem dois filhos e já ajudou milhares de colaboradores a mudarem suas vidas profissionais, mesmo com outras responsabilidades. 

Confira:

1. Divida bem o seu tempo

Ter filhos, cuidar de uma casa, manter uma boa escola e ainda pesquisar. Sim, é possível. Faça um esquema de separação do seu tempo. Pode ser por uma planilha em excel, uma agenda eletrônica ou um papel. O importante é checar as arestas do tempo que “sobra”. Use esse tempo para garimpar sobre a carreira que quer seguir. Cheque empresas, universidades e mercado.

2. Pense bem em que função você se enquadra dentro da carreira que quer seguir

Por exemplo, um matemático pode atuar dentro da sala de aula ou como um BI (Business Inteligence) em uma empresa de tecnologia, agência... Esta etapa consiste em refletir e enxergar quais atividades quer exercer na carreira.

3. Converse com pessoas que estão na função profissional que você quer exercer

Procure saber sobre salário e perspectivas de futuro nessa função. De posse dessas informações, vai ser possível confrontar com a realidade das contas e despesas com filhos e casa.

4. Planilhe seus gastos e o que recebe

Cheque os gastos com as crianças, educação, saúde, vestimenta, alimentação, entretenimento, aluguel, manutenção do lar... O ponto nesse passo é confrontar esses gastos com os benefícios que você recebe como auxílio creche e vale alimentação, mais o salário. Depois avalie substituir esses benefícios caso troque de carreira e diminua o salário que vai receber.

5. Converse com o seu parceiro e com as crianças

Dialogar é algo necessário, pois pode acontecer do seu parceiro também querer mudar de carreira. E com isso, o ideal é decidir quem mudará primeiro e como as contas vão ficar. Se dá para reduzir o valor pago na escola, comprar materiais didáticos mais baratos, roupas mais em conta nos bazares, pesquisar os preços dos alimentos antes de comprá-los, ir à feira, enfim reduzir os custos. 

6. Coloque o plano de tempo em prática

Neste sexto passo chega o momento de você conversar na empresa em que trabalha. Tente um acordo e seja transparente sobre a sua insatisfação da função que exerce e em quanto tempo deseja sair. Muitas empresas estão abertas ao diálogo, principalmente se você é um bom funcionário e está sendo honesto quanto a aptidão. Nesse meio tempo faça as suas atividades com excelência e vá poupando o quanto poder.

7. Comece de novo

Começar uma nova carreira exige paciência e persistência. Vença os seus medos, comece de novo e seja feliz no seu dia a dia no trabalho. Isso refletirá no convívio com as crianças e mesmo que o padrão de vida de vocês diminua, a felicidade e tranquilidade diária refletirá no seu lar.

Fonte: Leiza Oliveira, a CEO da Minds Idiomas e dona de 70 escolas