O senador e candidato a deputado federal Aécio Neves (PSDB) votou na tarde deste domingo (7) na Escola Estadual Governador Milton Campos, no bairro de Lourdes, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Ele foi recebido sob protestos por volta de 16h10 e deixou a instituição antes de 16h30. 

Aécio estava escoltado por seguranças particulares e apoiadores. Durante a caminhada até a seção de votação, o tucano foi hostilizado com gritos de "ladrão, golpista e corrupto". Alguns eleitores, no entanto, o cumprimentaram. Bolinhas de papel e garrafas também foram jogadas no candidato. Apesar das ofensas, ele não mostrou preocupação.

"É a democracia, hoje acontece isso no país inteiro. Respeito as posições contrárias. Estou muito feliz com a acolhida que tive em todo o Estado e aguardo o resultado das urnas com muita tranquilidade", comentou.

Sobre um possível apoio em um provável segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), Aécio sinalizou empatia à candidatura do ex-capitão do Exército. "PT jamais", disse.

Ele também voltou a falar sobre o pleito de 2014. Segundo o tucano, a eleição de Dilma Rousseff (PT) foi bancada por dinheiro de propina, conforme apresentando na delação de Antônio Palocci, ex-ministro nos governos petistas. "Lamento apenas que tivemos uma eleição corrompida em 2014, segundo o coordenador da campanha da Dilma Rousseff, o doutor Palocci, com R$ 800 milhões de dinheiro de propina", afirmou. 

Veja o vídeo:

Leia mais:
Não deixe para a última hora: portões de seções eleitorais serão fechados às 17h
Menções a Ciro Gomes e Bolsonaro aparecem em trending topics do Twitter no mundo
Abacaxi e puxa-sacos: no Estadual Central, eleição também é dia de comércio popular