A menos de 10 dias para o segundo turno das eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve firmar parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para inibir notícias falsas no WhatsApp. Nesta semana, o tribunal sediou encontro com um professor da instituição que estuda sistemas de monitoramento para contenção de fake news.

Na reunião, Fabrício Benevenuto, professor e coordenador do projeto Eleições sem Fake, da UFMG, afirmou a integrantes do Conselho Consultivo sobre Internet e Eleições do TSE que os sistemas desenvolvidos pelo grupo são inovadores e ajudam a entender o fenômeno de desinformação que está ocorrendo no processo eleitoral. O encontro foi realizado na última quarta-feira (17). “O projeto pode trazer informações relevantes sobre as fake news e contribuir para as ações da Polícia Federal, do TSE e do Ministério Público”, disse.

De acordo com o secretário-geral da Presidência do Tribunal, Estêvão Waterloo, o TSE estuda a possibilidade de firmar uma parceria com a universidade para o segundo turno do pleito deste ano e também para eleições futuras. 

Além de representantes do TSE, participaram do encontro integrantes do Ministério Público Eleitoral (MPE), da Polícia Federal (PF), da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e do Centro de Defesa Cibernética (CDCiber), vinculado ao Ministério da Defesa.