Os negros correspondem a 56% da população brasileira, apesar de serem maioria, ainda estão em desvantagem em relação a escolaridade, a oportunidade no mercado de trabalho e a políticas públicas que, efetivamente, diminuam as desigualdades entre negros e brancos.

Para o advogado e professor das Faculdades Kennedy e Promove, Sílvio Teixeira da Costa Filho, a realidade dos negros no Brasil é reflexo de como se deu a abolição da escravatura há 133 anos, “as demandas são as mesmas de 1888”, sem direito à moradia, saúde e escola.  

Diante de políticas públicas tímidas voltadas para a população negra, o professor acredita que falta a presença do Estado como o principal ator para garantir a igualdade racial, “ o nível de distinção entre as populações negra e branca deve ser enfrentado agora”.

Sílvio Teixeira conclui que foram poucos avanços em mais de um século da abolição, mas os desafios são muitos e precisam ser discutidos e equacionados com garantias de oportunidades e o combate à discriminação.      

Acompanhe a entrevista na íntegra.