"Aqui não damos Match e sim Marx", explica a escritora e professora Elika Takimoto, coordenadora de Física do Cefet-RJ. Ela e a advogada Maria Goretti Nagime desenvolveram um aplicativo de encontros amorosos semelhante ao Tinder, mas só para pessoas de esquerdas, o "PTinder". O nome é uma brincadeira com a sigla do Partido dos Trabalhadores e famoso app de namoro. 

A plataforma ainda não foi lançada, mas as criadoras já adiantam algumas detalhes em suas redes. "Não procuramos pela metade da laranja porque isso é coisa do Queiroz. Aqui buscamos a metade da nossa estrela. Vamos promover encontros, festas e shows. Nos aguarde!", completa Elika. 

A iniciativa vai começar com uma página no Instagram, antes do lançamento da plataforma, que ainda não tem data para acontecer. 

Elika

Leia mais:

Dia do sexo: tour pelos motéis mais exclusivos de BH mostra por que o setor cresce na crise; assista
Golpes do Dia dos Namorados no WhatsApp atingem 1.500 pessoas por hora; veja como se proteger