Advogados e assistentes sociais da Defensoria Pública do Rio de Janeiro fazem uma visita à ocupação do Edifício Hilton Santos, no bairro do Flamengo, na tarde desta segunda-feira (13). Inicialmente, os policiais militares que fazem a vigilância do local quiseram impedir a entrada de parte da equipe, mas acabaram liberando o acesso após anotarem o nome e identificação de todos.

"Essas famílias estão em cárcere privado. Quem sai eles não deixam mais entrar e agora não querem deixar a Defensoria Pública entrar? Isso é um absurdo", disse Maria Lúcia Pontes, defensora que coordena a ação.

Na sexta-feira (10), a Defensoria Pública entrou com um pedido de suspensão da liminar concedida pela 36ª Vara Cível para a reintegração de posse. Na visita desta tarde, os advogados e assistentes sociais pretendem cadastrar todas as famílias, dando prioridade às mulheres com crianças. O edifício pertence ao Clube de Regatas do Flamengo, mas está sob controle do grupo EBX, de Eike Batista, que pretendia transformá-lo em um hotel.