Com obras de melhorias na infraestrutura finalizadas neste mês, o Aeroporto da Pampulha pode voltar a receber aviões de maior porte já nos próximos meses. A liberação dos jatos está em estudo pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que regulamenta o setor. Companhias aéreas já manifestaram interesse em operar no terminal.

De olho no aumento do faturamento, já que perdeu receita com a concessão de aeroportos para a iniciativa privada, inclusive o de Confins, a Infraero ainda planeja, a longo prazo, adequar a infraestrutura da Pampulha a um possível aumento de demanda. As melhorias devem ser implementadas ao longo de 2016 e 2017.

Por enquanto, foram realizadas adequações do terminal de passageiros e operacionais, como recolocação de balanças, melhoria de sanitários, revitalização de pintura de pátio e serviços de drenagem das áreas de pista de decolagem e pátio de aeronaves.

Segundo a nota da estatal, sobre a infraestrutura, o Aeroporto da Pampulha está apto para atender a demanda de aeronaves até tipo C (Embraer 190/195, Airbus 319 e Boeing 737-700). Nessa terça (24), o blog Tudo Viagem, do jornalista Celso Martins, publicou que o terminal terá ainda neste ano pousos e decolagens dos Boeings da Gol, dos Airbus da TAM, Avianca e dos jatos Embraer da Azul. Inicialmente seriam quatro voos com jatos a cada uma hora e os últimos detalhes seriam definidos numa reunião nesta semana. Contudo, Anac e Infraero informaram que, até o momento, não há autorização por parte da agência para qualquer operação com esses equipamentos.

A Gol disse que já protocolou na agência pedidos de autorização para rotas para Congonhas, Santos Dumont e Brasília. A intenção é utilizar modelos de Boeing 737 com 138 assentos, mas a empresa ainda aguarda o sinal verde.

A TAM afirmou que está atenta às necessidades dos clientes para iniciar ou ampliar operações. Já a Azul disse que ainda não realizou pedidos à Anac para efetuar voos na Pampulha com aeronaves Embraer.

Em nota, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico disse que o Aeroporto da Pampulha é um importante indutor de desenvolvimento para Belo Horizonte e para Minas Gerais, na medida em que permite a empresários, investidores e trabalhadores de empresas mineiras viajarem para capitais próximas ao nosso estado e fazer o “bate e volta” – indo e voltando no mesmo dia.

Já a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, informou que é favorável ao aumento da utilização do Aeroporto da Pampulha, mas que também há um compromisso do prefeito com os moradores da região de defender a limitação de aeronaves com capacidade de até 70 passageiros. “O ideal é que Pampulha seja uma aeroporto auxiliar, operando dentro de sua capacidade técnica, e não acima dela. Atualmente ele está subutilizado”, afirmou.

Em 2014, o Aeroporto da Pampulha registrou déficit de R$ 10 milhões. O terminal tem capacidade para 2,2 milhões de passageiros por ano, sendo que em 2015, de janeiro a outubro, registrou 636.734 embarques e desembarques.