Não me canso de contar que já acelerei uma Mercedes-Benz AMG GT na versão S, de 510 cv, e sempre que a turma de Affalterbach ( sede da divisão esportiva) inventa uma coisa nova para o esportivo, relembro meu feito. E a notícia é que a AMG acaba de apresentar o GT R Pro, edição limitada, que eleva ainda mais a índole diabólica da versão mais nervosa do cupê alemão.

O AMG GT R Pro segue o processo de evolução do esportivo alemão e passa por um banho de loja, apesar de, visualmente, as mudanças serem pouco aparentes, e se resumirem a aperfeiçoamentos no conjunto aerodinâmico e melhor aproveitamento do fluxo de ar.

Por dentro, a principal novidade é o volante AMG Performance, que inclui novos recursos, como o seletor de comportamento dinâmico AMG Dynamics, que permite alterar os parâmetros de condução, ajustando a direção, troca de marchas e comportamento da suspensão.

Novidade interessante é o ajuste dos amortecedores. O condutor pode ajustar carga, curso e até mesmo o comportamento dos amortecedores em diferentes velocidades. Tudo com um toque de botão.

Engenheiro virtual

Os modelos AMG lançados nos últimos anos são equipados com sistema gráfico que exibe dados de performance do carro na tela central. Dados como pressão dos pneus, pressão da turbina, curva de torque e força G podem ser “lidas” pelo condutor. 

No entanto, a novidade fica por conta do AMG Track Pace. Trata-se de um sistema que registra mais de 80 parâmetros de condução quando o motorista está numa pista fechada. Assim, é possível ter um diagnóstico de desempenho na pista e ter acesso a informações que podem ajudar a melhorar os tempos de volta. 

Alguns traçados com Nurburgring e Spa Francorchamps já estão armazenados na memória do carro. No entanto, o condutor pode registrar o circuito que estiver pilotando e comparar o desempenho. É mais ou menos como aquele carrinho fantasma de games como “Gran Turismo”, que ajudam o jogador a melhorar a própria performance. A diferença é que, ao invés de um videogame, você está a bordo de uma máquina de 585 cv.

E por falar em cavalos-vapor, a AMG não alterou os parâmetros do V8 biturbo 4.0 que equipa o modelo. Ele segue com quase 600 cv e anabolizados 70 mkgf de torque, permitindo acelerar de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos e atingir 319 km/h. No entanto, com o emprego de mais peças em fibra de carbono, freios mais leves e ajustes aerodinâmicos, ele completou os 20 km de Nurburgring em 7m04s, abaixo do GT R original. No “inferno verde”, o diabo se sente em casa!