Quase 2.000 novos voos serão incluídos na malha aérea brasileira durante a Copa do Mundo para atender a demanda dos torcedores, entre 6 de junho e 20 de julho, ou seja, uma semana antes e uma semana depois do início e término dos jogos.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), as empresas aéreas solicitaram e conseguiram a inclusão de 1.973 novos voos e 78.027 alterações em trechos já existentes, para adaptação de horários ou rota.

Segundo o diretor-presidente da agência, Marcelo Guaranys, o número maior de voos não excede a capacidade dos aeroportos e nem deve prejudicar os torcedores que estiverem viajando nesse período. "A condição de aprovação é a capacidade do aeroporto, de pista, pátio e terminais. Não há nenhum horário [nos aeroportos] com mais voos que a capacidade do aeroporto. Claro que teremos horários de pico, como no Natal", disse.

Ainda segundo Guaranys, há uma expectativa de que esse aumento represente redução de preço para os consumidores. "Adequados os dias e locais das partidas, com maior oferta, isso irá permitir que os preços finais possam cair para o consumidor final. Esperamos isso", afirmou.

Segundo ele, apenas 4% dos assentos foram vendidos para esse período até agora.

A Anac informou que o trecho do Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, até Ezeiza, em Buenos Aires, terá 262 novos voos no período da Copa do Mundo de 2014. O trecho de Brasília até Guarulhos, em São Paulo, terá 288 novos voos. De Fortaleza até Guarulhos serão 205. Do Santos Dumont, no Rio de Janeiro, até Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo, são 284 novos. Do Galeão até o Aeroparque, também em Buenos Aires, são 242. Entre Natal e Guarulhos, serão 105 novos voos. De Recife até Guarulhos, 59.

O diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, ponderou que esses números se referem às autorizações da agência e que ainda precisam ser avaliados pelas empresas. "Como são muitos pedidos e muitos voos, as empresas ainda precisam avaliar. Esses números ainda são sujeitos a alteração", disse Guaranys. Ele falou ainda que as empresas que concordarem com as autorizações da agência podem comercializar os voos a partir desta sexta-feira (17).

Preços

O diretor-presidente da Anac também disse que a Agência vai acompanhar os preços de todas as passagens para a Copa do Mundo deste ano. Segundo ele, até agora apenas 4% das passagens para o período foram vendidas.

Ele explicou que, normalmente, a Anac acompanha os dados do mês imediatamente anterior. Mas para a Copa, o acompanhamento é para o futuro. Guaranys afirmou que a agência acompanhará quinzenalmente os dados e que, se houver abusos, os órgãos de defesa do consumidor e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) poderão agir. ( * ComFolhapress)