Candidato ao governo de Minas pelo PSDB, Antonio Anastasia, afirmou que, caso seja eleito, vai priorizar a regularização do repasse de verbas públicas para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Belo Horizonte. Segundo o tucano, há atraso na transferência de recursos para a organização desde 2016.

O senador visitou, na manhã dessa terça-feira (16), a unidade da Apae da capital mineira, no bairro Santa Tereza, região Leste da cidade, e participou de um evento que comemorava o Dia do Professor.

“A Apae é uma coisa especial. O governo do Estado tem a responsabilidade de fazer a cessão de professores e fazer o pagamento regular das chamadas casas lares, as antigas Febens, que hoje a Apae de Belo Horizonte administra. Lamentavelmente, esses valores estão atrasados. O primeiro esforço, caso eleito, será de regularizar esses pagamentos e, ao mesmo tempo, manter a cessão de professores no número necessário para que haja um bom atendimento”, completou Anastasia.

O tucano também comentou sobre o papel do Estado em fomentar a inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. “É uma responsabilidade social das empresas, por determinação de uma lei federal, e o poder público estadual pode fazer um estímulo a essas empresas, orientando. A maioria das empresas que acolhe os portadores de deficiência tem essa cultura de receber as pessoas, dar a oportunidade, para as pessoas se sentirem produtivas. Não podemos permitir que a pessoa com deficiência seja colocada lá (nas empresas) somente para cumprir a cota. Ela tem que se sentir produtiva, para sua própria autoestima”, pontuou o senador.

Na parte da tarde, Anastasia vai participar de um evento que reúne empresas fornecedoras do varejo supermercadista e da panificação do país, na Gameleira, região Oeste de Belo Horizonte.

Leia mais:
TSE adia reunião sobre fake news com campanhas de presidenciáveis
Zema e Anastasia batalham para conquistar voto evangélico em Minas