Ao menos 19 pessoas morreram neste domingo (1º), entre elas o único candidato sikh das próximas eleições legislativas, em um atentado suicida na cidade afegã de Jalalabad, que era visitada pelo presidente Ashraf Ghani.

O homem-bomba detonou a carga explosiva em um mercado situado a centenas de metros do prédio do governo provincial, onde Ghani participava de uma reunião, informou o porta-voz do governo local, Attaullah Khogyani.

Entre os 19 mortos estão 12 sikhs e hindus, disse à AFP o diretor de Saúde da província, Najibullah Kamawal. Vinte pessoas ficaram feridas.

Avtar Singh, o único candidato sikh na disputa eleitoral de 20 de outubro, está entre os mortos, informou um representante da embaixada da Índia. Em nota, a missão diplomática condenou o "covarde ataque terrorista".

Pequenas comunidades de sikhs e de hindus moram neste que é um país de esmagadora maioria muçulmana. Ainda não está claro se eles eram o alvo do ataque, reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI).

O atentado aconteceu na cidade próxima da fronteira com o Paquistão, à qual o presidente Ghani chegou neste domingo.

O porta-voz do Ministério do Interior, Najib Danish, confirmou que um homem-bomba cometeu o atentado - o último de uma série de ofensivas letais nessa província. De acordo com o porta-voz, o presidente Ghani está "fora de perigo".

As primeiras imagens disponíveis mostram vários focos de incêndio na região do mercado, que fica em uma das grandes avenidas de Jalalabad.