A Arábia Saudita revelou os destroços do que afirmou ser mísseis de cruzeiro e drones utilizados no ataque de sábado a suas instalações de petróleo.

Na quarta-feira (18), o porta-voz do ministério da Defesa saudita, Turki al-Malki, declarou à imprensa e a diplomatas presentes no reino que os destroços eram evidências inegáveis de agressão iraniana. Ele disse ainda que gravações de câmeras de segurança e o dano sofrido pelos alvos indicam que os ataques vieram do norte, direção em que se localiza o Irã em relação à Arábia Saudita.

Al-Malki afirmou que 18 drones e sete mísseis de cruzeiro foram lançados no ataque. Ele descreveu os drones como modelos "delta wing" de formato triangular, os mesmos utilizados em um ataque a oleodutos sauditas em maio. O porta-voz também declarou que os mísseis de cruzeiro tinham formato similar àqueles revelados pelo Irã no passado.

O Irã continua a negar tais alegações.

Leia mais:
Gasolina mais cara; ataque à refinaria na Arábia Saudita provoca alta do combustível
Irã nega acusação de que está por trás de ataques à produção de petróleo saudita
Ataque de drone atinge maior campo de processamento de petróleo da Arábia Saudita